No texto de hoje vamos explorar a Família Euphorbiaceae, que possui importantes plantas daninhas, como as espécies de mamona, leiteiro e erva-de-santa-luzia. 

  • As plantas daninhas da Família Euphorbiaceae tem distribuição pantropical.
  • Esta família está representada por 300 gêneros e 6.000 espécies. No Brasil, temos aproximadamente 1.000 espécies desta família, representando 70 gêneros.
  • Os principais gêneros são: Euphorbia, Ricinus, Chamaesyce, Croton e Phyllanthus.
  • Podem ser encontradas em diversos agroecossistemas, tanto anuais como perenes, viveiros de mudas e calçadas como a espécie quebra-pedra.
  • As espécies desta família possuem porte desde o herbáceo até o arbóreo. 
  • Muitas delas são invasivas, heliófitas (necessitam de total exposição à luz solar) e ocorrem em áreas ocupadas por agricultura ou pecuária. 
  • Uma característica desta família é que geralmente possuem látex no caule como também em outras partes, folhas alternadas com o limbo simples ou profundamente recortado ou ainda folhas compostas providas de glândulas nectaríferas.
  • A inflorescência é em cacho ou espigas ou ainda flores reunidas em ciátio (formada por uma flor feminina pedicelada e rodeada por várias flores masculinas. Ao redor dessa estrutura, encontram-se brácteas).
  • Tipos de inflorescência. Na família Euphorbiaceae encontramos inflorescências do tipo cacho ou espiga.

Fonte: Morfologia e taxonomia vegetal.

  • Os frutos são cápsulas que normalmente apresentam deiscência explosiva.

As principais espécies pertencentes a esta família são:

  • Chamaesyce hirta (alcanjoeira, burra leiteira, erva andorinha, erva de cobre, erva de santa luzia, erva de sangue);

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

  • Chamaesyce hyssopifolia (burra leiteira, erva andorinha, erva de andorinha, erva de santa luzia);

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

  • Chamaesyce prostrata (beldroega pequena, caá-bambuí, erva de santa luzia, quebra-pedra, quebra-pedra rasteira)

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

  • Croton glandulosus (gervão, gervão branco, malva vermelha, velame)

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

  • Croton lobatus (café bravo, mandioquinha, sangregão, velame)

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

  • Euphorbia heterophylla (adeus-brasil, amendoim bravo, café do bispo, café do diabo, flor de porta, leiteira, leiteiro, mata-brasil, parece mas não é)

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

  • Ricinus communis (baga, bajureira, carrapato, carrapateira, castor, mamona, mamoeira, palma de cristo)

Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

As plantas de mamona contém uma substância tóxica conhecida por “ricina”, esta está presente em maiores concentrações nas sementes, mas toda a planta tem a substância presente. Quando o gado consome as folhas, pode sofrer distúrbios gastrointestinais, podendo levar à morte. 

Ricinus communis (mamona) em lavoura de mandioca após tratamento com herbicida inibidor da biossíntese de carotenóides.



Casos de resistência a herbicidas na Família Euphorbiaceae

Foram relatados 2 casos de resistência desta família no Brasil.

Os dois casos são da planta daninha Euphorbia heterophylla.

  • Euphorbia heterophylla: resistente a herbicidas inibidores da ALS (chlorimuron, cloransulam, imazamox, imazaquin e imazethapyr);
  • Euphorbia heterophylla: resistente a herbicidas inibidores da ALS e da PROTOX (acifluorfen, cloransulam, diclosulam, flumetsulam, flumiclorac, fomesafen, imazethapyr, lactofen, metsulfuron, nicosulfuron e saflufenacil).

Conclusão

No texto de hoje vimos sobre as plantas daninhas pertencentes à Família EuphorbiaceaeEntendemos melhor sobre as principais características das plantas daninhas e quais as principais espécies. O conhecimento da biologia das espécies de plantas daninhas nos auxilia na tomada de decisão, somente identificando corretamente as espécies é que poderemos selecionar o melhor método de controle. 

Referências utilizadas neste artigo:

Aspectos da biologia e manejo das plantas daninhas / organizado por Patrícia Andrea Monquero – São Carlos: RiMa Editora, 2014.

Manual de Identificação de Plantas Infestantes. Moreira e Bragança (2010). FMC.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre à Família Euphorbiaceae? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Girardeli é Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar) e Doutora em Fitotecnia (USP/ESALQ). Atualmente está cursando MBA em Agronegócios.

 

Foto de capa Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.