O Imea divulgou os novos dados referentes à comercialização de soja no estado de Mato Grosso. Até o momento, a produção da safra 18/19 encontra-se 99,31% negociada, representando um acréscimo de 0,61 p.p. no mês de novembro.

Já a safra 19/20, que deve finalizar o seu processo de semeadura nos próximos dias, apresentou um avanço mensal de 7,35 p.p. e atingiu 51,12% da produção já negociada. Apesar da queda nas cotações em Chicago, a moeda norte-americana atingiu patamares históricos no mês passado e deu suporte ao avanço das negociações.

Desta forma, o preço médio mensal dos negócios realizados para a safra 19/20 ficou em R$ 71,13/sc, alta de 0,93% ante a outubro. Daqui em diante, o produtor deve atentar-se aos melhores momentos nas cotações e garantir os seus negócios, visto que restam poucos volumes da antiga safra a ser negociada e a colheita aumenta a oferta no mercado disponível, o que sazonalmente pressiona as cotações.

Confira os principais destaques do boletim:

• O preço da soja disponível em Mato Grosso finalizou a última semana com uma média de R$ 77,13/sc, retração de 0,90% em relação à semana anterior. A queda no prêmio portuário e no dólar afetou as cotações.

• O contrato corrente da bolsa de Chicago CME-Group apresentou uma nova queda semanal, desta vez de 0,55%, fechando a US$ 8,79/bu na média. O mercado ainda segue atento às novidades do acordo entre os EUA e a China.



• Pautada nas recentes divulgações dos dados econômicos da China, a moeda norteamericana fechou com média semanal de R$ 4,20, baixa de 0,85%.

• A semeadura de soja da safra 19/20 atingiu 99,95% da área total prevista para Mato Grosso, avançando 0,31 p.p. na semana.

Exportações do grão:

Na semana passada o Mdic divulgou os dados referentes às exportações do mês de novembro. As informações mostram que o país exportou um acumulado de 71,09 milhões de ton de janeiro a novembro deste ano, esse volume é 10,22% menor que o mesmo período ano passado, quando o país havia enviado 79,19 milhões de ton.

O alto volume escoado em 2018 pelo Brasil é justificado pela maior importação chinesa, visto o auge da disputa comercial com os EUA. Neste ano, a China, que é o maior consumidor do grão brasileiro, importou 77,94% do total escoado pelo país.

Outro fator em destaque é a participação do estado de Mato Grosso, que colaborou com 27,35% da oferta nacional no acumulado até o momento, um acréscimo de 2,71 p.p. em relação ao mesmo período do ano passado.

Nesse sentido, o estado exportou cerca de 540 mil toneladas em novembro, volume 27,5% maior que no mês de outubro, sendo este o melhor resultado mato-grossense para o mês desde 2011.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.