Seguida pelo interesse dos produtores em aproveitar a atual melhora na cotação em MT, a comercialização da safra 19/20 de milho fechou janeiro com avanço de 7,56 p.p., totalizando 64,44% da produção negociada. Esse número fica 20,72 p.p. acima da média de cinco anos e 17,90 p.p. ante a safra passada para o mesmo período.

Apesar do recuo dos preços internacionais, esse adiantamento nas negociações foi influenciado pelas oportunidades de negócio que surgiram ao produtor, baseado em alguns fatores, dentre eles: valorização do dólar de 0,93% (média de jan-20 ante dez-19) e forte demanda interna para a pecuária e produção de etanol.

Ainda, vale salientar o ritmo de semeadura do cereal, que vem adiantado em relação à média dos últimos cinco anos, o que pode deixar o produtor ainda mais confiante em relação a produção e incentivar o avanço da comercialização no próximo mês se os preços continuarem atrativos.

Confira os principais destaques do boletim: 

• O contrato de milho na B3 (mar/20) fechou a semana em queda de 3,36%, influenciado pelas especulações quanto a menor demanda para commodities em decorrência da possível desaceleração econômica mundial.

• O indicador de milho Cepea-Campinas acompanhou o mercado internacional e apresentou desvalorização de 2,22% na média semanal, cotado a R$ 50,39/sc.



• A moeda norte-americana fechou a semana com média de R$ 4,27/US$, alta de 0,97%, após dados econômicos positivos para os Estados Unidos e com grande volume de dólares saindo do Brasil nos últimos dias.

• A semeadura de milho no estado de MT avançou 16,96 p.p. na semana, com 38,94% da da área esperada para safra 19/20 já semeada até dia 07-fev, número que está 3,91 p.p. acima da média dos últimos cinco anos.

Preço em alta:

São muitos os fundamentos que levaram o preço do milho à valorização nos últimos meses em MT. Porém, ao contrário de 2016, quando uma quebra de safra ocorreu no estado e o preço do milho passou dos R$ 36,00/sc disponível, atualmente a demanda externa e interna aquecida vem impulsionando o preço do cereal a patamares próximos aos percebidos naquela época.

Além disso, o produtor está confiando numa boa safra, e desde já vem aproveitando as oportunidades de fechamento de contratos futuros a preços acima de R$ 25,00/sc, o que é um valor recorde para o período. Vale lembrar que o produtor de milho de MT deve cultivar a safra mais cara da história, o que deve pressionar sua margem ao final da temporada.

Desta forma, apesar da comercialização estar adiantada, os produtores estão aguardando preços ainda melhores para o produto, visto a conjuntura de oferta-demanda estar favorecendo os patamares mais elevados no preço do cereal no estado.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.