Novamente uma semana sem chuvas, na Argentina e continua a piorar a condição da água do trigo. O estado hídrico entre regular e seca subiu para 22,5% do total. Atualmente, dos 6,6 MHa implantados em todo o país, 3,6% estão em estágios de enchimento de grãos e 47,5% ainda não excedem o perfilhamento. Entretanto, 82,5% mantêm uma condição de crescimento normal a excelente.

A condição de umidade adequada-ideal recuou 4,2% e a condição de cultivo entre normal e excelente, em 2,5% Ao longo da última semana, a condição de cultivo regular a mau estado de crescimento subiu 2,6 pontos percentuais, de mãos dadas a partir de uma queda na condição hídrica de adequada para ideal de-4,2 pontos percentuais. Ao norte da área agrícola, onde o início da colheita é estimado em meados do próximo mês, a ocorrência de chuvas não teria maior impacto.



No entanto, ao sul da região, embora a cultura não mostre sinais de estresse graças às baixas temperaturas, a falta de chuvas pode ameaçar os rendimentos. No norte da região agrícola, grande parte do trigo já está em estágios de geração de rendimento. Na NOA e NEA, 85% e 48%, respectivamente, são de picos em diante, de modo que a ocorrência de chuvas não melhoraria significativamente as expectativas de rendição, que no entanto, espera-se que a produtividade da colheita por unidade de superfície exceda os valores médios.

Na região central, há alguns atrasos no desenvolvimento. Apesar deste último, a condição de crescimento é entre normal e bom em mais de 70% da área, acompanhada de umidade adequada e ótima em cerca de 80% dos casos.

Finalmente, ao sul da área agrícola a safra tem maiores atrasos, com uma deficiência hídrica mais acentuada. No entanto, graças às baixas temperaturas, o cereal não está estressado, mas requer chuva antes que as temperaturas comecem a subir.

Fonte: T&F Agroeconômica

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.