De modo geral, considera-se que uma lavoura atinja determinado estádio fenológico quando 50% das plantas da área se encontram no mesmo. Isso por que nem todas as plantas conseguem atingir os mesmos estádios ao mesmo tempo devido a influência de fatores abióticos.

Na cultura da soja não é diferente, e visando antecipar o momento de colheita, uniformizar a área e controlar algumas espécies de plantas daninhas, uma das alternativas a serem exploradas é o uso da dessecação em pré-colheita. Para isso, é preciso conhecer a fenologia da cultura, visando minimizar perdas ou danos decorrentes do emprego de tal manejo.

Contudo, quando se aborda o assunto, algumas dúvidas surgem a respeito da prática, como por exemplo qual o momento adequado para realizar a tarefa no campo, e qual produto utilizar.


Veja também: Glyphosate aplicado no início do estádio reprodutivo inviabiliza a produção de sementes de buva resistente.


Em vídeo, o pesquisador Prof. Dr. Alfredo Jr. P. Albrecht aborda o tema e explica o momento ideal para se realizar a dessecação da soja, de acordo com a finalidade da mesma. Ele ainda ressalta a importância de se conhecer a fenologia da cultura, a fim de manejar de forma adequada a dessecação.

Segundo Albrecht, quando o objetivo é eliminar hastes verdes para uniformizar a área ou controlar plantas daninhas, o ideal é dessecar a partir do estádio R7.3. Já quando o objetivo é antecipar o momento de colheita, o pesquisador aconselha a dessecação em R7.2, pois a mesma em estádios anteriores pode acarretar em perdas significativas de rendimento de grãos. Quando aos produtos a serem utilizados, recomenda-se o uso de produtos registrados para a cultura da soja.

Confira o vídeo abaixo:


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrecht, aqui.


Redação: Maurício Siqueira dos Santos – Eng. Agrônomo.



Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.