Os preços domésticos do algodão chegam ao final de outubro em recorde de alta. Na média do CIF de São Paulo, a pluma fechou cotada a R$ 4,03 por libra-peso no dia 29 de outubro. Quando se compara ao mesmo período do mês e do ano passado, os ganhos são de 26,7% e 61,8%, respectivamente.

No FOB exportação do porto de Santos (SP), a fibra brasileira era cotada a 69,42 centavos de dólar por libra-peso (c/lb). Em relação ao contrato de maior liquidez na Ice Futures, a pluma brasileira estava 0,6% mais acessível, a menor diferença verificada desde o último dia 14 de abril. Há uma semana, estava 4,9% menor e, há um mês, 11,2% inferior.

“Com os preços domésticos encostando na paridade de exportação, a tendência é que o rally que já persiste por 15 dias comece a perder força”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento. “Isto dependerá do apetite dos compradores domésticos”, pondera. Na atual temporada, a cadeia produtiva conta com um excedente de produção de cerca de 2 milhões de toneladas superior ao consumo interno.

As exportações brasileiras de algodão bruto somaram 178,681 mil toneladas até a quarta semana de outubro (16 dias úteis), com média diária de 11,167 mil toneladas. A receita com as vendas ao exterior totalizou US$ 270,087 milhões, com média diária de US$ 16,880 milhões. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Em relação à igual período do ano anterior, houve recuo de 14,74% no volume diário exportado (13,097 mil toneladas diárias em outubro de 2019). Já a receita diária teve decréscimo de 20,08% (US$ 21,120 milhões diários em outubro de 2019).

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Rodrigo Ramos - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.