InícioDestaqueEm que terço da planta a falsa-medideira prefere ficar?

Em que terço da planta a falsa-medideira prefere ficar?

A lagarta falsa-medideira (Chrysodeixis [=Pseudoplusia] includens) é uma das principais pragas que acometem a cultura da soja. Considerada uma praga desfolhadora, estudos demonstram que a lagarta apresenta significativa capacidade de desfolha da soja, sendo encontroado na literatura valores de desfolha de até 92,7cm² de folha/lagarta durante seu ciclo de desenvolvimento (Moscardi et al., 2012).

Atrelado a isso, a praga apresenta um ciclo de vida relativamente curto (figura 1), o que resulta em rápido aumento populacional caso das devidas medidas de controle não sejam adotadas no período recomendado.

Figura 1. Ciclo de desenvolvimento da lagarta falsa-medideira (Chrysodeixis includens).

Fonte: Reid e Greene (1973); Vásquez (1988), apud. Moscardi et al. (2012)

Além de conhecer suas características biológicas e capacidade destrutiva, visando um monitoramento adequado da praga é necessário conhecer seu hábito de distribuição na planta. Visando tanto o manejo químico quando o biológico da falsa-medideira, além da distribuição vertical da lagarta na planta, é necessário atentar para a oviposição dos adultos, principalmente se tratando do controle biológico da praga, por meio de parasitoides de ovos como o Trichogramma sp. (Figura 2).

Figura 2. Ciclo de parasitismo do Trichogramma.

Fonte: Koppert (2023)

Embora a distribuição vertical da oviposição das mariposas da falsa-medideira tenha sido encontrada nos diferentes terços da planta por distintos autores ao longo do tempo, avaliando a flutuação populacional da praga e a distribuição dos ovos da mariposa nos terços inferior, médio e superior da planta de soja, Zulin (2016), observou que as mariposas de C. includens ovipositaram em todos os três terços da planta (inferior, mediano e superior).

Porém, os ovos foram depositados em maior quantidade no terço inferior, quando comparado aos terços médio e superior da planta. A autora ainda enfatiza que foram amostrados 450 ovos nas plantas coletadas, sendo que 61,3% deles estavam no terço inferior, 24,8% no mediano e 13,8% no terço superior.

Figura 3. Distribuição vertical de ovos de Chrysodeixis includens no perfil das plantas de soja na safra 2014/2015. Dourados, MS.

Barras seguidas de letras diferentes, os valores diferem estatisticamente pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade Fonte: Zulin (2016)

Os ovos da Chrysodeixis includens são globulares, medem cerca de 0,5 mm de diâmetro e apresentam coloração creme-clara, logo após a oviposição e marrom-clara próximo à eclosão. O desenvolvimento embrionário se completa em torno de 2,5 dias (Moscardi et al., 2012).

Figura 4. Ovos de Chrysodeixis includens.

Foto: A.V. Carneiro

Já com relação a distribuição vertical das lagartas na planta de soja, Zulin (2016) observou que Independentemente do tamanho das lagartas, elas se distribuíram no perfil da planta, preferencialmente no terço inferior, seguido do terço mediano, e por último no terço superior, mostrando um comportamento semelhante ao observado para a oviposição.



Figura 5. Distribuição vertical de lagartas de Chrysodeixis includens no perfil das plantas de soja na safra 2014/2015.

Dourados, MS. Barras seguidas de letras diferentes, os valores diferem estatisticamente pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Fonte: Zulin (2016)

Conforme observado por Zulin (2016), para as condições do presente estudo, no terço superior das plantas estavam, aproximadamente, 18% das lagartas totais, no mediano 34%, enquanto 48% dessas lagartas permaneciam na parte inferior das plantas de soja, demonstrando assim que há uma preferência da lagarta falsa-medideira por se posicionar no terço inferior da planta de soja. Entretanto, essas lagartas se deslocam no perfil das plantas de soja ao longo do dia, ficando mais expostas nos terços mediano e superior em horários de temperaturas mais amenas, especialmente para o caso de lagartas grandes (Zulin, 2016).

Figura 6. Distribuição vertical de Falsa-medideira em soja.


Veja mais: Quais espécies de falsa-medideira ocorrem em soja no Brasil?



Referências:

KOPPERT. PRETIOBUG. Koppert, 2023. Disponível em: < https://www.koppert.com.br/pretiobug/ >, acesso em: 31/03/2023.

MOSCARDI, F. et al. ARTRÓPODES QUE ATACAM AS FOLHAS DA SOJA. Embrapa, Soja: Manejo Integrado de Insetos e outros Artrópodes-praga, Cap. 4, 2012. Disponível em: < https://www.researchgate.net/profile/Daniel-Sosa-Gomez/publication/262601804_Artropodes_que_atacam_as_folhas_da_soja/links/00b7d5383893fb23c3000000/Artropodes-que-atacam-as-folhas-da-soja.pdf >, acesso em: 30/03/2023.

ZULIN, D. DINÂMICA POPULACIONAL, DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL E TEMPORAL DE Chrysodeixis includens (WALKER) NA CULTURA DA SOJA. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Grande Dourados, 2012. Disponível em: < https://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/bitstream/prefix/1462/1/DanieleZulin.pdf >, acesso em: 31/03/2023.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares