Durante o ciclo de desenvolvimento da soja, inúmeros patógenos podem incidir sobre a cultura causando injurias na planta e reduzindo ou até mesmo comprometendo a produtividade final.

Segundo Doreto et al. (2012), a incidência de doenças fungicas é um dos principais fatores limitantes da produtividade da soja, podendo essas doenças causar reduções de produtividade de até 80% como é o caso da ferrugem asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi). Assim como a ferrugem, outras doenças fungicas podem causar sérios danos à cultura implicando na redução da produtividade, como por exemplo a mancha-alvo (Corynespora cassiicola) que segundo Godoy et al. (2020) pode causar reduções de até 40% na produtividade da soja dependendo da intensidade da doença.

Doenças fungicas podem prejudicar o sistema radicular ou parte aérea das plantas, comprometendo a absorção de água e nutrientes do solo ou até mesmo a fotossíntese da cultura em virtude da redução da área foliar fotossinteticamente ativa. Dentre as alternativas de manejo, o uso de cultivares resistentes ou tolerantes à doenças e a rotação de culturas são primordiais para o manejo sustentável de doenças em soja.

No entanto, o controle químico por meio do uso de fungicidas ainda é a ferramenta mais empregada no controle de doenças em soja, especialmente sendo utilizados de forma preventiva, reduzindo os riscos de infecção das plantas. Contudo, um manejo eficiente de doenças visando o uso de fungicidas necessita conhecimento técnico/científico que possibilite o entendimento dos grupos de fungicidas e o correto posicionamento de produtos.

Embora sejam constantemente empregados no cultivo da soja, os fungicidas são produtos extremamente complexos que apresentam distintas características que podem ou não proporcionar melhor controle de doenças quando utilizados de forma correta e no momento adequado. Áreas com históricos de resistência onde os produtos utilizados no manejo fitossanitário não apresentam boa eficiência devem ser trabalhadas de forma diferente, priorizando o uso de fungicidas que atuem em mais de um sítio de ação.

Em meio a tantas alternativas comerciais disponíveis o posicionamento de produtos nem sempre é fácil, sendo necessária a adoção de um programa de aplicação que possibilite o adequado uso de fungicidas nos momentos corretos proporcionando maior eficiência dos produtos.



Pensando nisso a equipe do Mais Soja preparou uma Live onde serão abordados os Grupos de Fungicidas e Programas de Aplicação. O intuito é transmitir informação de qualidade visando elucidar alguns aspectos relacionados ao tema que possam vir a gerar indagações quanto ao manejo de doenças em soja. A Live será conduzida pelo Dr. Lucas Navarini e irá ao ar as 20h do dia 07/10/2020.

Você pode acompanhá-la no canal do Mais soja clicando aqui!!!

Não perca essa oportunidade!


Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube



Referências:

DORETO, R. B. S. et al. Ferrugem asiática e produtividade da soja sob doses de potássio e fungicida, na safra 2007/08. Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 3, p. 941-952, maio/jun. 2012.

GODOY, C. V. et al. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DA MANCHA-ALVO, Corynespora cassiicola, NA CULTURA DA SOJA, NA SAFRA 2019/2020: RESULTADOS SUMARIZADOS DOS ENSAIOS COOPERATIVOS. Embrapa, Circular Técnica, n. 159, 2020.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.