Em vídeo divulgado no canal do Youtube Professores Alfredo & Leandro Albrecht, Gabriel Zanfrilli, integrante do grupo Supra Pesquisa da UFPR, explica as características principais dos herbicidas que atuam na Inibição da ALS (Acetolactato sintase).


Veja também: Herbicidas Inibidores da ALS (Grupo B)


O Supra Pesquisa vem elaborando uma série de episódios que explicam sobre os mecanismos de ação dos principais herbicidas utilizados atualmente para o controle de plantas daninhas nas lavouras. Os episódios estão sendo lançados sempre aos domingos, no canal do Youtube do Supra Pesquisa.

No sétimo episódio, Gabriel destacou que esse mecanismo de ação, age inibindo a síntese de três aminoácidos da cadeia ramificada, que são eles: valina, leucina e a isoleucina. Com a inibição desses três aminoácidos fundamentais, não ocorre a síntese de proteínas na planta, interfererindo na síntese do DNA e no crescimento celular;

Esse mecanismo de ação é composto por 5 grupos químicos, sendo que 4 deles possuem registro no Brasil, veja abaixo quais são eles:

  • imidazolinonas: imazamox, imazapic, imazapyr, imazethapyr e imazaquin;
  • sulfoniluréias: chlorimuron, ethoxysulfuron, cyclosulfamuron, trifloxysulfuron, pyroxsulam, pyrazosulfuron, iodosulfuron,-nicosulfuron e metsulfuron;
  • triazolopirimidinas: cloransulam, diclosulam, flumetsulam e penoxsulam;
  • pirimidinil(tio)benzoatos: pyrithiobac e bispyribac.

Veja também quais são as principais características desse mecanismo de ação:

  • Um dos grupos mais importantes comercializados atualmente;
  • Alta eficácia em doses baixas;
  • Seletivo para muitas culturas;
  • Controle de gramíneas e folhas largas;
  • Atividade no solo e nas folhas;
  • Usados em pré e pós-emergência;
  • A paralisação do crescimento ocorre poucas horas após a aplicação, mas a morte das plantas pode levar até semanas;
  • Absorção (folha, caule e raiz) rápida;
  • Translocação pelo xilema e floema (apossimplástica);
  • Sinergismo com inseticidas organofosforados e adubação nitrogenada;
  • Média adsorção aos colóides do solo;
  • Persistência no solo é variável.

Veja também: Herbicidas: mecanismos de ação e modo de ação


Os herbicidas deste mecanismo de ação agem em doses mais baixas, e os sintomas observados no campo são a clorose entre as nervuras seguida de arroxeamento de algumas folhas, murcha e necrose, seguida da morte da planta.

Conforme destacado, as imidazolinonas são incompatíveis em misturas com o 2,4-D.

Confira o vídeo abaixo.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrechtaqui.



Elaboração: Engenheira Agrônoma Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.