O Imea divulgou o relatório de comercialização de milho em Mato Grosso para as safras 18/19 e 19/20 referente ao mês de julho. No mercado disponível, as vendas avançaram 6,18 p.p. e com isso já apresentam 83,23% da safra já comercializada. Parte dos negócios foi destinada ao mercado interno com um preço médio de R$ 22,49/sc.

No que tange à safra 19/20, as vendas alcançaram 32,38% da produção, após um avanço mensal de 5,78 p.p. Apesar da queda no dólar e nas cotações da CME-Group, os produtores aproveitaram o momento para realizar o travamento de custos e garantir a comercialização antecipada do produto, o que refletiu em um preço médio comercializado de R$ 22,93/sc.

Ambas as safras continuam com as vendas avançadas, se comparadas ao ano anterior no mesmo período, com destaque para a safra 18/19, com adiantamento de 8,36 p.p. a frente da safra 17/18 e 11,68 p.p. se comparado a média dos últimos cinco anos.

Confira os principais destaques do boletim:

• O preço do milho no estado de Mato Grosso encerrou a semana com aumento de 5,48% e cotação média de R$ 23,51/sc, impulsionado pela valorização na B3 e no dólar.

• Apesar da queda nos prêmios, a valorização no câmbio e nas cotações da Bolsa de Chicago fizeram o preço paridade (jul/20) subir 10,12%, fechando a semana com cotação média de R$ 22,90/sc.



• O dólar apresentou uma valorização semanal de 3,79% e cotação média de R$ 3,96/US$. O mercado se volta novamente para o exterior, pautado na guerra comercial entre a China e os Estados Unidos.

• Na última semana, a colheita do milho mato-grossense para a safra 18/19 exibiu avanço semanal de 2,10 p.p. e alcançou 99,81% da safra já colhida.

EM ALTA:

O Mdic divulgou as exportações do milho brasileiro referente ao mês de jul/19, trazendo um aumento nos embarques do cereal. Assim, no acumulado de jan/19 à jul/19 o país escoou 15,42 milhões de toneladas do cereal, tendo Mato Grosso como seu principal estado fornecedor, responsável por 53,16% dos envios brasileiros.

Com isso, o estado levou ao exterior 8,19 milhões de toneladas de janeiro até agora, um incremento de 166,24% em relação ao mesmo período de 2018, sendo os principais destinos o Irã e o Vietnã.

Em relação a esse aumento, um dos fatores que contribuiu para isso, foi o adiantamento da colheita que proporcionou um grande volume disponível no mercado neste período, aliado ao bom volume já comercializado até o momento.

Com este início acelerado, a expectativa para os próximos meses é que o ritmo nos embarques do milho continue firme, dado “abertura da janela” de exportação e a grande disponibilidade do cereal no mercado.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.