As importações de adubos e fertilizantes pelo estado de Mato Grosso registraram um aumento de 10,2% de janeiro a novembro deste ano, e já somam cerca de 5,4 milhões de toneladas. O volume representa um aumento de 531 mil toneladas sobre o mesmo período de 2019, quando foram registradas a aquisição de 4,9 milhões de t. Os dados estão no Boletim Logístico, publicado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O maior volume desembarcado ocorreu nos portos de Santos/SP e Paranaguá/PR, que registraram o recebimento de aproximadamente 2 milhões de toneladas e 1,5 milhões de t de insumos respectivamente. Juntos, os dois portos são responsáveis por 65% do total parcial de produtos adquiridos neste ano, ampliando em 5 pontos percentuais a representatividade no recebimento dos adubos e fertilizantes comprados.

Arco Norte – Os portos da região norte do país vem ganhando destaque na importação de insumos para os produtores mato-grossenses, mesmo com a maior participação de Santos e Paranaguá até o momento. Ao somar a quantidade de insumos recebida pelos portos de Santarém e Barcarena no Pará, Itaqui no Maranhão e Itacoatiara, no Amazonas, o volume é inferior apenas ao desembarcado em Santos.

Santarém é o terceiro maior ponto de desembarque de adubos e fertilizantes que tem como destino final o estado de Mato Grosso, com a recepção de mais 600 mil toneladas, aumento em torno de 26,6% em relação ao movimento registrado no mesmo período de 2019. Esse crescimento fez com que a representatividade do porto para o recebimento de insumos passasse de 10,7% para 12,3%.

Ainda na região amazônica, destaque também para o porto de Itacoatiara que, apesar do pequeno volume de material desembarcado, registrou um crescimento de mais de 34% no recebimento de insumos de janeiro a novembro deste ano quando comparado com o mesmo período de 2019, com mais de 373 mil toneladas em 2020.

Clique aqui e acesse o conteúdo completo do Boletim.

Fonte: CONAB

Texto originalmente publicado em:
CONAB
Autor: CONAB

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.