InícioDestaque“La Niña”- pelo terceiro mês consecutivo intensidade projetada para o fenômeno caí

“La Niña”- pelo terceiro mês consecutivo intensidade projetada para o fenômeno caí

Segundo análise da Bolsa de Cereais de Rosário, Argentina, as últimas projeções indicam que, pelo terceiro mês consecutivo, houve uma diminuição do arrefecimento esperado no Pacífico equatorial face a março.  

 Por Cristiano Russo, consultor de GEA/BCR. 

Um “ La Niña” forte para a campanha 2024/25 fica de fora das projeções

“As projeções feitas pela NOAA em 20 de junho de 2024, utilizando o modelo CFSv2 para o resto do ano mostram, pelo terceiro mês consecutivo, uma diminuição do resfriamento esperado da temperatura da superfície no Pacífico equatorial central em comparação com aquele que havia foi calculado em março deste ano ”, explica Elorriaga, consultor do GEA/BCR.

“Os dados atuais e a tendência decrescente sustentada indicam que a intensidade do La Niña que se desenvolverá a partir de setembro de 2024 será menos rigorosa do que o esperado em março de 2024. ”Desta forma, fica de fora das projeções um Niña forte a muito forte , como esperado em abril: uma anomalia de -2,3 a -1,3 foi projetada para dezembro de 2024. 

A projeção atual, somada à neutralidade do Dipolo do Oceano Índico, é uma boa notícia para as chuvas na Argentina durante o período primavera/verão, uma vez que serão menos condicionadas por fenômenos de escala planetária do que se esperava há três meses.

Já se pode dizer que haverá um La Niña fraco?

“ É cedo para dizer com certeza. Os modelos mostram agora uma tendência clara de La Niña moderada. Resta saber se a diminuição se manterá nos próximos meses. Não podemos esquecer o que aconteceu no ano passado, esperava-se um El Niño forte, projetou-se um fraco e acabou sendo muito forte, usando os mesmos modelos”, responde Elorriaga.

Os últimos dados da NOAA são mais otimistas para a agricultura argentina. A última atualização publicada pelo Climate Prediction Center/NCEP/NWS emitiu um alerta de fim de “El Niño” e um alerta de “La Niña” com 65% de probabilidade para setembro de 2024. Analisando os dados, observa-se que em comparação com o mês passado, em junho a probabilidade de Niña para o mês de março de 2025 diminuiu, passando de 85% para 73% . “Esta é uma indicação de que o “La Niña” poderá durar um pouco menos do que se esperava há dois meses”, afirma Elorriaga.

Já estamos na “Neutralidade”?

O El Niño desapareceu: as temperaturas da superfície do mar (TSM) no Pacífico central têm esfriado continuamente desde dezembro de 2023. Desde junho, os padrões (de nuvens e pressão superficial) são neutros para o fenômeno “El Niño” Oscilação Sul” (ENSO) . A anomalia semanal mais recente na região NIÑO3.4 foi de 0,0°C. Os modelos de previsão preveem que a neutralidade durará até setembro de 2024 com uma probabilidade de 65%. La Niña se torna a categoria mais provável a partir de outubro de 2024 com continuidade até março de 2025 com probabilidade de 85% durante dezembro/janeiro.

O Dipolo Indiano, outro fator importante para a Argentina, continua evoluindo para não jogar contra as chuvas finas e grossas

A probabilidade do Índice Dipolo Indiano (IOD) permanecer neutro de novembro a janeiro aumentou na atualização de junho. Mas por que isso é importante para a Argentina? Elorriaga explica: “quando La Niña coincide com um IOD negativo, aumenta a probabilidade de que a precipitação do inverno à primavera fique abaixo da média. Portanto, com um cenário Niña, o melhor que pode acontecer à Argentina é que o Dipolo Indiano não aprofunde os efeitos da falta de água como aconteceu com o La Niña que afetou o ciclo 2022/23 . O setor lembra bem aquela campanha protagonizada pela terceira Niña consecutiva, à qual se somou o efeito do Oceano Índico, agravando a escassez de água. Foi a seca mais brutal da agricultura moderna, com efeitos devastadores sobre o trigo, a soja e o milho .

“Felizmente, um Oceano Índico neutro não acrescenta efeitos negativos às chuvas na região dos Pampas”, conclui Elorriaga.

Fonte: Bolsa de Cereais de Rosário –  Argentina

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares