A solenidade de lançamento de tecnologias da Embrapa realizada no dia 04 de fevereiro na Vitrine de Tecnologias da Embrapa, no Show Rural, em Cascavel (PR) contou com a participação do diretor de Inovação e Tecnologia da Embrapa, Cleber Soares; do secretário de Agricultura do Paraná Norberto Ortigara, do presidente da Coopavel Dilvo Groli; do chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias; do chefe-geral da Embrapa Mandioca e Fruticultura Alberto Duarte Vilarinhos, do presidente da Fundação Meridional Josef Phan, entre outras autoridades e parceiros.

Foram lançadas duas cultivares de soja (BRS 543RR e BRS 1061IPRO); uma cultivar de feijão do grupo calima (BRS FS305); uma cultivar de mandioca para a indústria (BRS 420) e o Mapa de aptidão de terras para o cultivo do eucalipto nos municípios formadores da Bacia do Paraná 3 e do município de Palotina. Os lançamentos têm levado o público a visitar os espaços da Embrapa no evento, o que mostra o interesse dos visitantes por novidade da pesquisa.

O diretor de Inovação e Tecnologia da Embrapa, Cleber Soares, destacou a presença da Embrapa na feira com importantes lançamentos para o setor produtivo e a apresentação de mais de  mais de 50 tecnologias: foram lançadas no Show Rural cinco soluções tecnológicas de impacto. “É um momento de comemoração. A Embrapa está focada em desenvolver tecnologias e promover a inovação, sobretudo, qualidade de vida e ampliação da renda para os nossos agricultores e para a população brasileira”, destacou Soares.

Na solenidade de lançamentos, o presidente da Coopavel Dilvo Grolli disse que o Brasil está vivendo um momento importante de crescimento, o que é uma oportunidade para todo o setor que produz alimentos.  “Com uma safra de 248 milhões de toneladas de grãos, tendo a soja e o milho como grandes vedetes, o Brasil vive um momento importante. Inclusive, vejo uma oportunidade para a pesquisa pública brasileira para levar os resultados gerados para outros países e até obter retorno econômico”, destacou

Para Groli, que comemora o bom momento do agronegócio brasileiro, a pergunta que fica é: qual será a produtividade de 2030? “Temos que estar olhando para este futuro próximo e, a Embrapa que é um orgulho nacional, tem todas as condições para responder”, ressaltou.

O secretário da Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara, aproveitou a oportunidade para ressaltar a relevância de tecnologias que possam colaborar com preservação do solo. “O Paraná que já foi exemplo em plantio direto, vem sofrendo com problemas de erosão, por isso, precisamos investir em melhoria dos nossos solos, que é o suporte para o produtor crescer em produtividade”, afirmou.

Lançamentos da Embrapa

Soja – A Embrapa e a Fundação Meridional lançam durante o Show Rural duas cultivares de soja – a BRS 543RR e a BRS 1061IPRO – altamente competitivas para atender às demandas dos produtores de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. A BRS 543RR tem como principal diferencial as características da tecnologia Block, ou seja, são tolerantes ao ataque de percevejos. Além disso, a BRS 543RR é uma cultivar altamente produtiva com precocidade associada (grupo de maturidade 6.0), caraterísticas que garantem excelente performance em semeaduras antecipadas.

A nova cultivar é recomendada para São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul, abrangendo toda a macrorregião sojícola 2 (RECs 201, 202, 203 e 204).  Os produtores que semeiam soja na macrorregião sojícola 2 têm outra nova opção de soja com altos rendimentos e precocidade (grupo de maturidade 6.1), a BRS 1061IPRO. Este lançamento permite o plantio antecipado da soja, o que possibilita a semeadura de segunda safra. “A cultivar possui alto potencial produtivo especialmente em regiões mais altas e férteis”, destaca Petek. A BRS 1061IPRO possui ainda resistência às principais doenças, sendo moderadamente resistente à infestão de nematoides de galha (M. javanica e M. incógnita).

Feijão – A Embrapa lança no Show Rural 2020 a cultivar de feijão com grão especial do grupo calima, a BRS FS305. A BRS FS305 possui como destaque a resistência à antracnose e a tolerância à murcha de fusário, que estão entre as principais doenças que atacam a cultura. A BRS FS305 é adaptada à colheita mecânica direta, possui potencial de produtividade de 3500 kg por hectare. A cultivar apresenta também grãos comerciais rajados tipo exportação, considerado padrão de qualidade pelo mercado. A cultivar é recomendada para a semeadura em São Paulo para as três épocas de cultivo (águas, seca e inverno) e também para o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul para cultivo nas épocas da seca e das águas.

Mandioca – A Embrapa também lança no Show Rural a BRS 420, cultivar precoce de mandioca para a indústria, adaptada ao plantio direto e à mecanização. Além da adaptação ao plantio direto (sistema que confere estabilidade produtiva e conservação ambiental), o comportamento produtivo da BRS 420 foi superior ao das cultivares locais, seja em colheitas precoces (10 a 12 meses após o plantio) ou tardias (até 24 meses após), o que assegura flexibilidade de colheita e amplia a janela de comercialização. Outra característica é a rápida cobertura do solo, que ajuda no manejo das ervas daninhas. Testes realizados em fecularias revelaram elevada aptidão da cultivar para uso industrial, uma vez que suas raízes apresentam fácil descascamento e amido de alta qualidade para a alimentação. Outra característica importante da BRS 420 é a facilidade de arranque, em função da disposição horizontal de suas raízes.

Mapa para cultivo de eucalipto – O “Mapa de aptidão de terras para o cultivo do eucalipto nos municípios formadores da Bacia do Paraná 3 e do município de Palotina”, é um dos resultados do Projeto Bioeste Florestas, parceria entre a Embrapa Florestas, Itaipu Binacional e CIBiogás, com apoio da C.Vale e Emater/PR. O mapa é uma ferramenta para a tomada de decisão em ações de planejamento regional relacionadas à cadeia produtiva de biomassa florestal para geração de energia e pode ser utilizado por analistas do planejamento regional, extensionistas, técnicos de cooperativas e produtores rurais. O mapa mostra, de forma espacial, os diversos fatores de limitação de produção, considerando o nível tecnológico (insumos) de produção de biomassa de madeira na região e a oferta ambiental a partir de atributos de clima e solos. Os interessados em eucalipto terão informações e materiais sobre o plantio de eucalipto e seu sistema de produção.

Participação da Embrapa  – A Embrapa está presente no Show Rural por meio de sua Secretaria de Inovação e Negócios (SIN) e de 12 unidades pesquisa (Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Clima Temperado, Embrapa Florestas, Embrapa Gado de Corte, Embrapa Gado de Leite, Embrapa Mandioca e Fruticultura, Embrapa Milho e Sorgo, Embrapa Pantanal, Embrapa Pesca e Aquicultura, Embrapa Soja, Embrapa Suínos e Aves e Embrapa Trigo).

As novidades da Embrapa estão sendo demonstradas em cinco espaços distintos: na Casa da Embrapa, na Vitrine de Tecnologias. na Vitrine Tecnológica de Agroecologia “Vilson Nilson Redel”, no Show Rural Pecuário e no Show Rural Digial. As soluções tecnológicas trazem incrementos para diferentes segmentos, como: produção animal, genética, sistemas de produção sustentáveis de grãos, sistemas florestais, entre outros. No Show Rural Digital, a empresa está presente com palestras e interação com os parceiros e startups. A Embrapa é também co-realizadora do Fórum de Inovação Aberta – Iguassu Valey Connect Show e realizará painel do programa Ideas for Milk

O diretor de inovação e tecnologia da Embrapa, Cleber Soares, fez a apresentação Agricultura e Alimentos – drivers para a sustentabilidade e inovação, mostrando como esses temas estão cada vez mais conectados na agenda global. “Sustentabilidade é mais do que um conceito ou uma premissa. É o novo driver de inovação de negócios e de relacionamento com o consumidor. É preciso estar atento e aproveitar de maneira inteligente e transparente as oportunidades que estão surgindo em mercados cada vez mais complexos”, destacou Cleber Soares.

O secretário de Inovação da Embrapa, Daniel Trento, também esteve presente no evento, destacando as oportunidades de carreira e de articulação de startups com os ambientes de inovação da empresa. “A inovação aberta tem um potencial enorme de alavancar negócios e de desenvolver novas soluções para diferentes problemas que estão na agenda da agricultura. A aproximação com diferentes players amplia as conexões de forma exponencial e proporciona aprendizado mútuo: é um jogo que todos ganham”, ressalta Trento.

Livraria – Os visitantes do Show Rural podem também visitar a Livraria da Embrapa que comercializa títulos de diferentes temáticas a preços acessíveis. Os visitantes também estão interagindo com os pesquisadores da Embrapa na Estação do Conhecimento, local em que serão promovidas 33 palestras sobre diferentes temas que são desafios do campo.

Fonte: Embrapa

Texto originalmente publicado em:
Embrapa Soja
Autor: Lebna Landgraf - Embrapa Soja

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.