Colussi, J. e G. Schnitkey. “Lucro da Soja Brasileira atingirá maior patamar histórico em 2020/21”. farmdoc diário (10):175, Departamento de Economia Agrícola e do Consumidor, Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, 30 de setembro de 2020.

Os agricultores brasileiros estão em uma trajetória para ter o maior retorno da soja da história para o ano de comercialização 2019/20. Os preços da soja atingiram altas nos últimos meses, causadas pelo baixo abastecimento doméstico e pela depreciação do real brasileiro (BRL) em relação ao dólar americano (USD). Os movimentos cambiais reduziram o preço dos produtos brasileiros vendidos no mercado externo, tornando a soja brasileira mais competitiva em relação à soja dos EUA.

Preços da Soja Brasileira

O preço mensal no porto de Paranaguá (Pr. Paraná) aumentou 66,5% de 1o de janeiro a 25 de setembro, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Faculdade de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (ver Figura 1). Uma saca de 60 quilos (2,2 bushels) foi vendida por R$ 150,86 (US$ 27,35) em 24 de setembro, recorde nominal da série histórica do Cepea iniciada em março de 2006.

O aumento do preço da soja no Brasil está diretamente relacionado à depreciação do real (BRL) em relação ao USD. De janeiro a setembro, o dólar americano subiu 29% em relação ao real brasileiro (ver Tabela 1). Durante a pandemia COVID-19 de 2020, a moeda brasileira se depreciou ainda mais à medida que sua economia desacelerou.

Além das mudanças cambiais, existem prêmios elevados em relação aos preços da Chicago Mercantile Exchange (CME) nos portos brasileiros. Em setembro e outubro deste ano, os prêmios portuários ficaram entre US$ 1,90 e US$ 2,00 por bushel acima dos preços da CME. Esses aumentos de prêmios ocorreram em um ano em que o Brasil colheu uma safra recorde de soja, ultrapassando 124 milhões de toneladas na safra 2019/2020.

Recorde nas exportações brasileiras

A competitividade agrícola do Brasil levou a registrar vendas recordes de soja de quase 70 milhões de toneladas nos primeiros sete meses de 2020. Para os primeiros seis meses de 2020, as exportações agrícolas totais foram 36,3% maiores que o mesmo período do ano passado (Ministério da Economia). A soja foi responsável por 39% de todas as exportações do agronegócio brasileiro.

Fatores sugerem que os preços da soja no Brasil continuarão a subir, já que as exportações recordes geraram uma redução da oferta interna em relação aos anos anteriores. A demanda interna continua firme devido às grandes compras de farelo de soja e óleo. Os baixos estoques de soja estão levando as indústrias nacionais a pagar mais em comparação com os portos. Segundo a consultoria Cogo – Inteligência no Agronegócio, esse preço mais alto dentro do país do que nos portos é inédito.

Além da oferta limitada no mercado interno, as vendas para a próxima safra também aumentaram. Quase 50% da safra 2020/2021 já foi vendida até o início de setembro. No mesmo período do ano passado e na média histórica, esse percentual foi de 20%, segundo a consultoria Safras & Mercado. Em Mato Grosso – estado do Brasil –, os agricultores iniciaram o plantio de soja em setembro com mais de 70% da produção já vendida, percentual bem acima da média histórica de cinco anos, que é de 30%.



Lucro da produção brasileira de soja

Os preços altos levaram a lucros recordes de soja. Mato Grosso do Sul é o quinto maior estado de soja do Brasil e área de crescimento recente na produção de soja. O lucro em Mato Grosso do Sul é projetado em R$ 3.790, um aumento de 84% em relação aos níveis de 2019,20 (ver Figura 2).

Essas projeções são feitas pela Agrinvest Commodities com base nos custos de produção divulgados pela Embrapa utilizando o rendimento esperado para Mato Grosso do Sul para 2020/21.

Além de impactar os preços da soja, as taxas de câmbio no último ano reduziram os custos dos insumos agrícolas, como fertilizantes e agroquímicos. Os dois impactos nos preços e nos custos resultam em maiores lucros, levando a uma potencial expansão nos hectares de soja. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a área plantada deve crescer 3% no ano de comercialização 2021/22 A Conab estima que as exportações de soja atingirão 86,4 milhões de toneladas para 2021/22, um aumento de 5% em relação aos níveis 2020/21. Espera-se que o crescimento contínuo da demanda chinesa resulte em crescimento das exportações.

Uma análise do Rabobank sugere que o crescimento da produção brasileira continuará nos próximos dez anos, como resultado de margens agrícolas positivas e disponibilidade de terras no Brasil. Hectares adicionais de soja poderiam ocorrer em pastagens próximas a novas infraestruturas portuárias no norte do Brasil. Além disso, o Brasil potencial em novas fronteiras, como Matopiba (região formada por quatro estados brasileiros: Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).



Resumo

Os agricultores brasileiros provavelmente terão o maior lucro da história na safra 2020/2021 da soja, já que os preços da soja atingiram recordes nominais nos últimos meses. Os preços elevados são resultado da baixa oferta doméstica e da depreciação do BRL em relação ao USD. Os preços da soja provavelmente permanecerão altos no Brasil, e as exportações de soja podem crescer para o ano de comercialização 2020/21. O crescimento da produção no Brasil provavelmente continuará nos próximos dez anos.

Referências

Conab, Companhia Nacional de Suprimentos. Perspectivas para a Agricultura – Volume 8 – Safra 2020/2021 – Edição de Grãos, Brasília, 25 de agosto de 2020. https://www.conab.gov.br/ultimas-noticias/3573-conab-aponta-aumento-de-8-da-roducao-brasileira-de-graos-chegando-a-278-milhoes-de- toneladas

Cepea/USP. “Mercado spot de soja ultrapassa R$ 130 por saca no porto; agricultor negocia produto a ser colhido em 2022.” Esalq (Faculdade de Agricultura Luiz de Queiroz) da Universidade de São Paulo (USP), 24 de agosto de 2020. https://www.cepea.esalq.usp.br/br/releases/graos-cepea-mercado-spot-de-soja-supera-r-130-sc-no-porto-produtor-negocia-oleaginosa-que- sera-colhida-em-2022.aspx

Ikeda, V., e E. Nazetta. “O crescimento do Brasil como potência da soja continua.” Rabobank, agosto de 2020. https://research.rabobank.com/far/en/sectors/grains-oilseeds/soybeans-poised-for-growth.html Valdes, C., K. Hjort e R. Seeley.

“Competitividade Agrícola do Brasil: Crescimento Recente e Impactos Futuros Sob Depreciação Cambial e Mudança das Condições Macroeconômicas”, ERR-276, Departamento de Agricultura, Serviço de Pesquisa Econômica dos EUA, setembro de 2020.
https://www.ers.usda.gov/publications/pub-details?pubid=99426



Fonte: T&F Agroeconômica, Adaptado de: Farm Doc Daily

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.