O mercado brasileiro de milho deverá repercutir, nesta quinta-feira, a publicação de medida provisória, por parte do governo federal, que isenta a cobrança de PIS/Cofins nas importações até 31 de dezembro, o que pode trazer maior movimentação aos negócios. No cenário internacional, a Bolsa de Chicago recua após os ganhos da última sessão.

Ontem (22), O mercado brasileiro de milho registrou preços fracos, de estáveis a mais baixos, nesta quarta-feira. O ritmo seguiu lento na comercialização, com quedas regionais onde há melhor fluxo de oferta.

No Porto de Santos, o preço ficou na faixa de R$ 85,00 a R$ 94,00 a saca (CIF). Já no Porto de Paranaguá, cotação entre R$ 85,00/94,00.

No Paraná, a cotação ficou em R$ 91,00/93,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 88,00/91,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 91,50/93,00 a saca.

No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 93,00/96,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 91,50/93,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 83,00/R$ 85,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 78,00/80,00 a saca em Rondonópolis.

Isenção de PIS/CONFINS na Importação de Milho 

O Governo Federal suspendeu a cobrança de PIS e Cofins na importação de milho até 31 de dezembro deste ano. O objetivo é desonerar o custo de aquisição externa com foco no aumento da oferta interna buscando reduzir a pressão de preços e os custos dos criadores de animais, já que o grão é importante insumo na alimentação de bovinos, suínos e aves.

A medida consta na Medida Provisória Nº 1.071, publicada nesta quinta-feira (23) e foi proposta pela ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), em razão da quebra na produção de milho por causa da seca, e do cenário de aperto no abastecimento, o que provocou alta no preço do milho para os criadores de animais.

Segundo a MP, ficam reduzidas a zero, até 31 de dezembro de 2021, as alíquotas de contribuição incidentes na importação do milho. A Medida Provisória entra em vigor no quinto dia útil após a data de sua publicação.

A suspensão permitirá a compra de milho de outros mercados fora do Mercosul de maneira competitiva, melhorando o abastecimento interno e evitando reajuste nos preços das carnes para o consumidor. A expectativa é que a retirada da cobrança da tarifa represente redução de 9,25% no custo de importação ou R$ 9 por saca.

De acordo com o levantamento mais recente da Conab (setembro), a produção nacional de milho safra 2020/2021 deve chegar a 85,7 milhões de toneladas, uma redução de 16,4% em comparação ao ciclo anterior (102,5 milhões de toneladas), impactada por problemas climáticos.

Outra medida tomada, recentemente, pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), foi a retirada do imposto de importação (8%), a Tarifa Externa Comum (TEC), do milho até o fim deste ano, e a facilitação para as compras de milho geneticamente modificado cultivado nos Estados Unidos. Ambas normativas foram propostas pelo Ministério da Agricultura.

Chicago 

Os contratos com entrega em dezembro de 2021 operam com baixa de 1,50 centavo, ou 0,28%, em relação ao fechamento anterior, cotada a US$ 5,24 por bushel.

O mercado é pressionado pela fraca demanda pelo cereal norte-americano.

As vendas líquidas norte-americanas de milho para a temporada comercial 2021/22, que tem início no dia 1o de setembro, ficaram em 373.000 toneladas na semana encerrada em 16 de setembro. O Canadá liderou as compras, com 135.800 toneladas.

Os analistas esperavam exportações entre 275 mil e 800 mil toneladas. As informações são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Ontem (22), os contratos de milho com entrega em dezembro fecharam a US$ 5,25 1/2 por bushel, alta de 8,50 centavos de dólar, ou 1,64%, em relação ao fechamento anterior.

Câmbio 

O dólar comercial registra baixa de 0,09% a R$ 5,2980. O Dollar Index registra baixa de 0,33% a 93,16 pontos.

Indicadores financeiros 

  • As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +0,38%. Tóquio, feriado.
  • As principais bolsas na Europa registram índices mistos. Paris, +0,73%. Londres, -0,19%.
  • O petróleo opera em baixa. Novembro do WTI em NY: US$ 72,18 o barril (-0,06%).

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Arno Baasch - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.