As lavouras de milho safra na região de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, têm se mostrado notavelmente mais resiliente frente as intensas chuvas que atingiram o estado nas últimas semanas. É o que apontou o engenheiro agrônomo Guilherme Zorzi da Emater/RS, em entrevista exclusiva à Safras News.

“A colheita já estava bastante avançada quando a catástrofe climática começou, o que contribuiu significativamente para minimizar os danos nas plantações”, disse.

A ceifa atingia 86,5% dos 63,29 mil hectares semeados na região, antes do início do excesso de precipitações, restando apenas 13,5% a ser colhido. “Essas áreas remanescentes são compostas, em grande parte, por pequenas lavouras que estão em fase de maturação no campo. Muitos produtores optam por deixar elas secarem naturalmente ao longo do inverno, colhendo conforme a necessidade para consumo próprio”, relatou o engenheiro.

Segundo Zorzi, os agricultores se preparam agora para o próximo ciclo de plantio, que deve começar dentro de dois meses.

Autor/Fonte: Ritiele Rodrigues / Safras News



 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.