Em vídeo divulgado no canal do Youtube Professores Alfredo & Leandro Albrecht, Alfredo, professor da UFPR e um dos supervisores do grupo Supra Pesquisa,  está na França em uma missão, buscando conhecimentos para serem aplicados na pesquisa e no nosso país.



O Prof. Dr. Alfredo Jr. P. Albrecht comenta que está visitando os centros de pesquisa do INRA (Institut National de la Recherche Agronomique) buscando novos conhecimentos sobre o manejo de plantas daninhas, visando a redução do uso de produtos químicos, aprendendo mais sobre o manejo integrado dos sistemas agrícolas.

O pesquisador ressalta que em extensão, o Brasil é cerca de 13 vezes maior que a França, e possui uma população em torno de três vezes maior.

No vídeo, o pesquisador mostra uma lavoura de Canola, que foi semeada há algumas semanas, no período de final do outono e início do inverno e uma lavoura de trigo recentemente semeada.

Alfredo ressaltou que a França vive em um contexto bem distinto do Brasil no que diz respeito à utilização de pesticidas, onde, devido à subsídios governamentais e ao clima favorável, percebe-se na França uma redução na utilização desses produtos ao longo dos anos.

Além disso, não são utilizadas culturas transgênicas no país, e o agricultor possui respaldo para poder produzir sua lavoura de tal maneira, o que ainda é muito escasso no nosso país.

Outra questão importante a ser destacada é a diferença climática entre os dois países, onde, por ser um clima tropical, mais quente e úmido, o Brasil enfrenta uma série de problemas com o controle de plantas daninhas, pragas e doenças, por exemplo, o que já é um cenário distinto da França, onde tais problemas não ocorrem com tanta severidade em virtude da questão climática.

Confira o vídeo abaixo.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrechtaqui.



Elaboração: Engenheira Agrônoma Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.


Foto de capa: Alfredo Luiz

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.