O plantio da cultura já chega a 95% da área no RS. A semana foi marcada pela instabilidade com predomínio de tempo encoberto, temperaturas baixas e chuvas, que em muitos municípios os acumulados superaram a 100 milímetros. Os produtores aguardam a melhoria do tempo para dar continuidade aos plantios e ao monitoramento de pragas, doenças e ervas nas áreas já implantadas.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Bagé, a combinação de fatores favoráveis, como preços, perspectivas climáticas e parcerias com empresas privadas estão sendo os responsáveis pelo incremento na área destinada ao cereal em relação à safra passada. Na Fronteira Oeste, em Itacurubi, a implantação da cultura está finalizando com atraso em relação ao previsto pelos produtores devido ao excesso de umidade nos solos.

Em São Borja, as lavouras em fase inicial de desenvolvimento também estão sendo afetadas tanto pelo excesso de umidade quanto pela sequência de dias com ausência de insolação.

Nas lavouras implantadas no início do período de zoneamento e que já se encontram perfilhando, os produtores aguardam o momento adequado para efetuar a adubação nitrogenada. Em alguns municípios onde as precipitações estavam sendo insuficientes, como em Manoel Viana, São Gabriel e Santana do Livramento, o estande de plantas e a sanidade são considerados adequados.

O excesso de umidade dos solos nos Campos de Cima da Serra não permitiu o avanço da semeadura que deverá ser retomada assim que o solo voltar a apresentar condições favoráveis. Na regional de Caxias do Sul, as áreas já semeadas apresentam boa germinação e bom desenvolvimento inicial. Os altos volumes de chuva ocasionaram problemas de erosão em áreas muito declivosas.

A semeadura de trigo seguiu paralisada na regional da Emater/RS-Ascar de Pelotas, em razão da alta umidade no solo. A conclusão da atividade deverá se estender até meados de julho. Em Jaguarão, Canguçu e São Lourenço do Sul já foi finalizada a semeadura e as áreas implantadas apresentam bom estande de plantas e bom desenvolvimento vegetativo.

Na regional de Ijuí, com a intensa umidade no solo durante a semana não foi possível dar continuidade a operação de semeadura, embora restem poucas áreas para serem plantadas. A cultura segue com bom desenvolvimento, não sendo prejudicada pelo grande volume de chuvas. Em pontos isolados das últimas lavouras semeadas foi possível observar
escorrimento superficial da água, provocando pequenos danos. Nas lavouras que já se encontram em afilhamento, produtores realizam adubação nitrogenada em cobertura, de acordo com as condições de trafegabilidade nas lavouras. O mesmo vale para a aplicação de herbicidas para controlar as invasoras, principalmente o azevém.

Na regional de Frederico Westphalen, o plantio já alcança 98% da área, que deve ser de 112 mil hectares, aumento de 14% em relação ao ano anterior. Na de Passo Fundo, a área de intenção de plantio deverá ultrapassar a 70 mil hectares, e já alcança 95% de semeadura. Na regional de Erechim, as lavouras estão 100% implantadas. Os produtores começam a realizar controle das invasoras.

Na de Santa Maria, a semeadura que já ultrapassa os 90% da área de plantio, não foi finalizado em virtude da sequência de dias chuvosos. A perspectiva é que área plantada de trigo nesta safra deva aumentar em relação à safra passada. Em Tupanciretã, já foram plantados 15 mil hectares; em Cachoeira do Sul, 4.300 e em Santiago 5.500 hectares.

Na de Santa Rosa, o plantio foi concluído na Fronteira Noroeste dentro do período recomendado pelo zoneamento agroclimático que prevê até fim de junho; as lavouras estão com excelente estande e desenvolvimento inicial. Na região das Missões, a implantação está praticamente concluída, restam 2% das lavouras; o período recomendado pelo zoneamento agroclimático é até 10 de julho. A fase é de desenvolvimento vegetativo, com perfilhamento e emborrachamento das lavouras semeadas no cedo.

O excesso de umidade dificultou a realização dos tratos culturais como aplicação de adubação nitrogenada em cobertura e aplicação de herbicidas pós-emergência. Na de Soledade, as lavouras em fase de perfilhamento aguardam a melhora do tempo para receber adubação nitrogenada e controle de plantas daninhas, em especial o azevém. Nas plantadas no último decênio de junho, a alta umidade do solo associada à baixa luminosidade dificultou a emergência e o estabelecimento inicial das plantas.



Mercado (saca de 60 quilos)

O preço médio do trigo no Estado ficou em R$ 54,10/sc., com aumento de 0,45% em relação ao da semana passada, conforme o levantamento semanal de preços da Emater/RSAscar. Nas regionais de Caxias do Sul, Passo Fundo e Frederico Westphalen, o preço é de R$ 54,00; na de Erechim, R$ 52,00; nas de Santa Maria e Soledade, R$ 53,50; na de Bagé, R$ 55,00; na de Ijuí, R$ 53,90. Na de Santa Rosa, a cotação está em R$ 53,00/sc.

Fonte: Emater/RS

Texto originalmente publicado em:
Informativo Conjuntural n° 1614
Autor: Emater/RS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.