O arranjo espacial de plantas, ou seja, a forma como as plantas são dispostas na área, pode influenciar diretamente nos resultados de produtividade das lavouras. Esse arranjo é definido pela densidade de semeadura (plantas por hectare), pelo espaçamento entre as fileiras e pela uniformidade de distribuição de plantas dentro dessas fileiras.  O uso de cultivares de soja com tipo indeterminado e com arquitetura compacta de plantas tem aumentado nos últimos anos, estimulando a avaliação de arranjos alternativos, como a semeadura cruzada, a fileira dupla e o espaçamento reduzido.

Estudos indicaram que o arranjo que apresenta melhor resultados para soja de crescimento indeterminado é o de espaçamento entre 40 e 50 cm de distância entre as linhas. Ainda assim, os pesquisadores alertam para o fato de que o arranjo vai depender da cultivar selecionada e da época de semeadura.

Assim, o pesquisador da Embrapa Soja Alvadi Antonio Balbinot Junior, destaca que os estudos sobre os arranjos espaciais das plantas são necessários e devem ser atualizados. “Estamos vivendo tempos em que as mudanças nas características morfofisiológicas das cultivares de soja e nas práticas de manejo são uma realidade. Além disso, temos um aumento da expectativa de produtividade de grãos, acompanhado de aumento do custo com sementes“, conta o especialista. Outro fator que justifica as pesquisas com espaçamentos, de acordo com o pesquisador, é a semeadura antecipada da soja, estratégia utilizada para reduzir a incidência de doenças e pragas no final do ciclo ou para semear o milho de segunda safra em sucessão à soja, o mais cedo possível.


Leia também: Desempenho de cultivares de soja em função da densidade


Pensando nisso, em trabalho apresentado e publicado nos anais da 37ª Reunião de Pesquisa de Soja, os pesquisadores Brutscher, A.; Chitolina, P.H.; Bahry, C.A.; Teixeira, R.L.; Carleso, A.A.; Dal Prá, F.S.; Petkowicz, L.A.; Geraldo, G.; Ceresoli, L.; Silva, J.A. Da; Silva, W.V. Da e Mazaro, S.M. realizaram um trabalho intitulado “Arranjo de plantas no desempenho agronômico da cultivar de soja NS 4823 RR®”, com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes arranjos de plantas sobre o desempenho agronômico da cultivar de soja NS 4823 RR®.

Esses autores concluíram com o trabalho que a expressão do potencial produtivo da cultivar de soja NS 4823 RR® ocorreu nas maiores populações e nos menores espaçamentos entre linhas, ocasionado pelo próprio ajuste de estande e pela maior massa de mil grãos.

Confira os resultados dos autores abaixo.

Tabela 1. Resumo da análise de variância para o número de grãos por planta (NGP), massa de mil grãos (MMG) e produtividade de grãos em função de diferentes arranjos de plantas testados com a cultivar de soja NS 4823 RR®.

Fonte: Brutscher, et al.; (2018).

Tabela 2. Dados médios do número de grãos por planta (NGP), massa de mil grãos (MMG) e produtividade para a cultivar NS 4823 RR em função de três populações de plantas.

Fonte: Brutscher, et al.; (2018).

Figura 1. Produtividade média de grãos da cultivar de soja NS 4823 RR® em função de cinco espaçamentos entre linhas.

Fonte: Brutscher, et al.; (2018).

Para acessar o trabalho completo clique aqui.


Leia também:  Desempenho produtivo de cultivares de soja em função da densidade de plantas




Elaboração: Andréia Procedi – Equipe Mais Soja. 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.