Em vídeo divulgado no canal do Youtube Professores Alfredo & Leandro Albrecht, Leandro, professor da UFPR e um dos supervisores do grupo Supra Pesquisa, mostra uma lavoura localizada em Palotina, no oeste do estado do Paraná, onde foi realizada a colheita do milho e logo após introduziu-se a cultura da aveia. No vídeo, percebe-se a diferença que existe no controle de plantas daninhas quando é adotada essa prática de manejo em comparação com lavouras onde a cobertura de solo não é realizada.


Buva na Aveia


O pesquisador destaca no vídeo um contraste muito perceptível e que vem se repetindo nas lavouras nos últimos anos, sobretudo na região do oeste do estado do Paraná, onde o vídeo foi realizado.

Trata-se de um manejo utilizando a cultura da aveia após a colheita do milho segunda safra como uma terceira cultura no mesmo ano agrícola.

Esse manejo é importante principalmente no manejo integrado de plantas daninhas (MIPD), em virtude de que, como se pode observar no vídeo, onde a aveia foi introduzida as plantas daninhas não emergiram, indicando que a cultura de cobertura foi eficiente nesse cenário.

Outro ponto interessante e que vale a pensa ser destacado é a manutenção da palhada no solo, bem como a importância que a cultura introduzida tem em proporcionar ao solo um manejo de sistema, que visa a manutenção e incremento da matéria orgânica do solo, a construção do perfil de solo, além de evitar a erosão e dentre outros benefícios que essa cultura proporciona.



A aveia quando é utilizada dessa forma evita que plantas daninhas de difícil controle venham a emergir no solo em virtude de que muitas plantas daninhas necessitam de luz para o processo de emergência e ao cobrir o solo com essa planta de cobertura, também estamos evitando a entrada de luz na lavoura.

Além disso, sem a emergência de plantas daninhas, reduz-se também a necessidade de controle dessas plantas, o que gera uma maior economia para o produtor, seja com produtos químicos, maquinário ou com a própria operação de dessecação para um manejo antes de entrar com a semeadura da próxima cultura na área.

Como é observado no vídeo, a área onde a cobertura com a aveia como terceira safra, apesar de não ter gerado uma massa verde tão significativa, propiciou que plantas daninhas fossem praticamente ausentes na lavoura, o que é um fator extremamente relevante no manejo produtivo das lavouras.

Em trabalho realizado pela Embrapa e publicado no Portal Mais Soja, foi possível observar que culturas como trigo, centeio, canola e aveia apresentam elevada capacidade de cobertura do solo com reconhecido efeito alelopático (substâncias químicas liberadas pelas plantas), podendo diminuir o número de plantas daninhas como buva e azevém em até 65%, quando comparado a áreas de pousio.

Veja abaixo os resultados do experimento mostrando os efeitos das culturas de inverno para controle da buva:

Cultivo – nº de plantas de buva/m²;

Pousio – 20;

Aveia Preta – 1;

Trigo – 0,75;

Centeio – 0.

Confira o vídeo abaixo.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrechtaqui.




Elaboração: Engenheira Agrônoma Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.