RIO GRANDE DO SUL: Soja recupera as perdas do dia anterior, mas vendedor, sem pressa, quer mais

Esta quinta-feira trabalhou a níveis mínimos: tanto o dólar quanto Chicago fizeram variações positivas, mas o vendedor otimista não teve interesse crescente no mercado, especialmente após as vendas excelentes de semana passada. Preços para entrega em outubro e recebimento em abril/maio a R$ 185,00 em um melhor momento, alta de R$ 1,70/saca em relação ao dia anterior.

Nos preços de pedra houve variação positiva também, com os preços CIF Panambi subindo a R$ 159,00. Os preços de lote, por sua vez, podem ser vistos na tabela ao lado, nota-se que ocorreu uma melhora generalizada na base de R$ 2,00/saca para cada região. Ademais, o escoamento do RS já se aproxima dos 70% da safra de 2020, não havendo pressa para vendas. Hoje, não mais de 5.000 toneladas foram negociadas.

SANTA CATARINA: Dia com preços em manutenção, negócios pontuais

O mercado segue para outra quinta-feira calma, mas dessa vez com negócios. Os valores do dia não sofreram variação, com soja permanecendo a R$ 174,50 spot e a R$ 172,50 para pagamento dia 11/04. Isso demonstrou uma consolidação nos níveis de preço, fazendo com que os vendedores à espreita se movimentassem, o escoamento de volumes do dia esteve próximo a 3.000 toneladas que saíram durante a manhã.

PARANÁ: Preços sobem, mas negócios permanecem parados

No Paraná as vendas saem com dificuldade, mesmo em dias como esta quinta-feira, com Chicago subindo e dólar indo acima em outros 0,10%. O produtor, continua muito defensivo, com a soja 2020 já bastante comercializada, a tentativa é de poupar volumes e buscar preços melhores. Os preços de lotes, por sua vez, contaram com melhoras gerais de R$2,00/saca, com o porto a R$ 176,00 para pagamento no começo de novembro, mas nada de negócios.

  • Futuros Paranaguá 2021: Setembro/outubro com pagamento no dia 15 de outubro a R$ 173,30, alta de R$ 2,60 em relação a semana passada.
  • Futuros Paranaguá 2022: Até 30 de fevereiro com pagamento no dia 30 de março a R$ 157,00, alta de R$ 1,30. Março com pagamento no dia 30 de abril a R$ 157,10, alta de R$ 1,20.

O relatório mensal de acompanhamento das safras de Deral-PR registrou nesta quinta-feira que a área plantada com soja na temporada 2021/22 no Paraná também foi elevada de 5,619 milhões de hectares para 5,623 milhões de hectares, aumento de 1% ante a safra anterior. O Deral espera que o rendimento médio alcance 3,728 t/ha, ante 3,729 t/ha previstos em agosto – alta de 5,4% frente à safra passada.

MATO GROSSO DO SUL: Com preços inalterados, volume de negócios moderado

Nesta quinta-feira os níveis de preço foram mantidos, mesmo com a alta do dólar e de Chicago, no entanto, a mesma forma que em outras regiões, ao notar a consolidação das posições, alguns vendedores decidiram se posicionar no mercado. O dólar, que costuma ser o principal encarregado da mudança dos valores na região nesse momento, contou com um posicionamento positivo de 0,10%, e os volumes negociados chegaram a 10.000 toneladas, ademais, a soja de 2020 já chegou a 92%, a de 2021, por sua vez, alcançou os patamares de 29%.

MINAS GERAIS: Preços continuam longe do que o agricultor quer e ofertas não aparecem

O agricultor mineiro parece ter se fixado no valor de R$ 170,00/saca para negociar o que resta dos 5% que ainda tem no silo, seja lá o que lucro obtenha com isto. Parece mais importante o valor do preço do que o lucro. Já demonstramos aqui que ele está perdendo dinheiro esperando para vender. Teria obtido os tão sonhados R$ 171,00/saca se tivesse vendido a R$ 165,00 e aplicado o dinheiro.

Já os movimentos do mercado ora se aproximam, ora se afastam de R$ 160,00, cerca de 10 reais abaixo do que os vendedores querem e nada é negociado.



Fonte: T&F Agroeconômica

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.