A busca pela sustentabilidade do sistemas de produção é cada vez mais observada nas propriedades agrícola. Uma produção sustentável permite a competitividade dos cultivos agrícolas, a diminuição dos custos de produção e o aumento da lucratividade do produtor rural. Grande parte das propriedades brasileiras tem como principal cultura de verão a soja, entretanto é necessário pensar em outros cultivos para maximizar o uso da terra e consequentemente agregar benefícios indiretos para a soja, além de aumentar as fontes de renda da propriedade.

Dentre as culturas possíveis de inserção no sistema de rotação de culturas, o sorgo é uma interessante alternativa, podendo ser cultivado solteiro ou em consorcio com outras plantas. Conforme destacado por LANDAU & SANS (2010), o sorgo é uma planta originalmente de clima quente, mas que apresenta adaptabilidade a regiões de cultivo de clima temperado, podendo ser cultivado em uma ampla faixa do território brasileiro.



Temperaturas superiores a 38 °C e inferiores a 16°C tendem a prejudicar o desenvolvimento da cultura, entretanto uma das principais características do sorgo é seu baixo requerimento hídrico quando comparado as demais culturas produtoras de grãos, o que faz do sorgo uma planta com resistência a períodos de estresse hídrico, conforme observado por AMARAL et. al, (2003).

Em vídeo, Mateus Araldi Pradella membro do Grupo Supra Pesquisa demonstra áreas com o cultivo do sorgo solteiro e consorciado com braquiária. Conforme destacado por Mateus, a versatilidade do sorgo aliado às características de produção de massa seca da braquiária proporciona uma grande produção de palhada para os cultivos sucessores, fato que possibilita uma maior controle das plantas daninhas fotoblásticas positivas.

Figura 1. Área de sorgo consorciado com braquiária.

Fonte: Professores Alfredo & Leandro Albrecht.

Entretanto, Mateus comenta que uma das dificuldades do cultivo do sorgo é o controle de plantas daninhas, uma vez que há poucos herbicidas registrados para a cultura do sorgo, sendo a Atrazina o principal herbicida utilizado.

Com relação a produção de grãos no cultivo do sorgo solteiro, Mateus destaca que a adaptabilidade do sorgo principalmente em períodos de baixa disponibilidade hídrica para a cultura fazem do sorgo uma interessante ferramenta na rotação de cultura principalmente em períodos de baixas precipitações. Além disso, o ciclo de desenvolvimento do sorgo permite uma terceira safra no sistema de produção, aumentando a utilização da terra e diversificação dos cultivos.

O melhoramento genético vem contribuindo para o aprimoramento genético de cultivares de sorgo, sendo que há cultivares com ciclo de aproximadamente 115 dias, fato que facilita a inserção da cultura em meio aos demais cultivos agrícolas (EMBRAPA, 2016).

Além disso, avaliando o desempenho agronômico e econômico de híbridos de sorgo granífero na safrinha em Montividiu–GO, SILVA; FRANCISCHINI; GOULART (2015) encontraram resultados que demonstram produtividade média superior a 5000 kg.ha-1 para a grande maioria dos híbridos avaliados pelos autores. Produtividades médias de 3.269 kg.ha-1 foram observadas por MENEZES et. al, (2019) onde os autores avaliaram o desempenho de cultivares de sorgo tolerantes ao estresse hídrico, destacando o potencial produtivo da cultura mesmo em meio a condições adversas de disponibilidade hídrica.

Confira o vídeo abaixo com as dicas do integrante do Grupo Supra Pesquisa Mateus Araldi Pradella.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrecht, aqui.



Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no Youtube)

Referências:

AMARAL, S. R. et. al. COMPORTAMENTO DE LINHAGENS DE SORGO FORRAGEIRO SUBMETIDAS A DÉFICIT HÍDRICO SOB CONDIÇÕES CONTROLADAS. Pesq. agropec. bras., Brasília, v. 38, n. 8, p. 973-979, ago. 2003.

EMBRAPA. NOVOS HÍBRIDOS DE SORGO PRODUZEM MAIS RÁPIDO E COM ALTA PRODUTIVIDADE. Embrapa Notícias, 2016, disponível em: < https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/14184750/novos-hibridos-de-sorgo-produzem-mais-rapido-e-com-alta-produtividade>, acesso em: 09/07/2020.

HÍDRICO EM PÓS-FLORESCIMENTO. Embrapa, Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n.185, abr. 2019.

LANDAU, E. C; SANS, L. M. A. CULTIVO DO SORGO. Embrapa Milho e Sorgo, ed.6, set. 2010.

MENEZES, C. B. et. al. CULTIVARES DE SORGO TOLERANTES AO ESTRESSE

SILVA, A. G; FRANCISCHINI, R; GOULART, M. M. P. DESMPENHO AGRONÔMICO E ECONÔMICO DE GÍBRIDOS DE SORGO GRANÍFERO NA SAFRINA EM MONTIVIDIU-GO. Revista de Agricultura, v.90, n.1, p.17-30, 2015.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.