O trabalho teve por objetivo definir a variabilidade espacial de E. heros na cultura da soja nos diferentes estádios desenvolvimento com o uso da geoestatística.

Autores: Mauricio P. B. Pasini; Eduardo Engel; Carolina Vincensi; Dienefer Silveira; Rafaella D. daCosta; Vanessa S. F. Rebelato; Camila E. Mazieiro; Henrique Beutler

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores

Na cultura da soja a ação de insetos-praga afeta direta e indiretamente os componentes de rendimento, gerando perdas significativas quando estes não são controlados. Na cultura, o percevejo-marrom, Euschistus heros (Hemiptera: Pentatomidae) caracteriza-se por ser uma das principais
espécies. A geoestatística constitui uma ferramenta importante no complemento do estudo da distribuição espacial de insetos nos cultivos, sendo facilmente visualizado o comportamento da variável em estudo.

O trabalho teve por objetivo definir a variabilidade espacial de E. heros na cultura da soja nos diferentes estádios desenvolvimento com o uso da geoestatística. A pesquisa foi conduzida na Área Experimental da Universidade de Cruz Alta, Cruz Alta, Rio Grande do Sul, Brasil.

Para a geração de dados foi estabelecido um grid de 10 metros x 10 metros, os quais foram submetidos a análise de dados e geoestatística. A população de Euschistus heros, embora esteja presente na lavoura, tende a se concentrar próximo a borda em maior população do que nas áreas que fazem limite com a cultura da soja.

Essa característica está associada ao manejo integrado de insetos-praga, a qual, torna-se uma informação importante a ser considerada, principalmente nos métodos de amostragem, com o uso das bordaduras das áreas de cultivo como um fator de tomada de decisão para medidas de supressão populacional.

Durante a execução da pesquisa, 4.537 adultos de E. heros foram quantificados, divididos em quinze avaliações e 1500 unidades amostrais, computando 3,02 adultos por unidade amostral. A infestação de E. heros inicia a partir do estádio VC, chagando ao seu pico populacional no estádio R7. A partir da definição da variabilidade espacial de E. heros é possível definir regiões na área de cultivo para se estabelecer medidas de supressão populacional localizadas em sítio específico.

 

Palavras-chave: Euschistus heros; Pentatomidae; Dinâmica populacional

Informações dos autores:

Universidade de Cruz Alta, mpasini@unicruz.edu.br.

Disponível em: Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Entomologia,  2018. Gramado, RS.

1 COMMENT

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.