O mercado brasileiro de soja abre a semana com condições favoráveis aos negócios. O dólar segue acima de R$ 5,00 e os contratos futuros estão subindo em Chicago. Tendência de manutenção de preços firmes e evolução da comercialização.

Chicago 

Os contratos com vencimento em maio sobem 1,47% e estão cotados a US$ 8,75  por bushel.

O mercado chegou a operar com maiores, mas sente o impacto dos efeitos econômicos gerados pela pandemia do coronavírus. O sentimento de demanda aquecida mantém os preços no território positivo.

Os democratas do Senado dos Estados Unidos bloquearam um pacote de resgate projetado para atenuar o impacto econômico da pandemia de coronavírus, após uma disputa com republicanos sobre provisões de resgate de empresas e auxílio a trabalhadores deslocados.

Os legisladores e funcionários da administração ainda esperam chegar a um acordo sobre um pacote que vale tanto quanto US$ 1,3 trilhão para permitir que ambas as câmaras do Congresso o aprovem esta semana. As negociações se estenderam até tarde da noite de ontem.

Prêmios

O prêmio em Paranaguá para abril ficou em 48 a 55 pontos acima de Chicago. Para maio, o valor é de 58 a 65 pontos acima.

 Câmbio 

O dólar comercial registra alta de 0,13% a R$ 5,029.

Indicadores financeiros 

  • As principais bolsas da Ásia fecharam em forte baixa. Xangai, -3,11%, e Tóquio, +2,02%, sendo a exceção.
  • As principais bolsas na Europa operam com perdas. Paris, -3,80%; Frankfurt, -3,59% e Londres, -0,78%.
  • O petróleo opera em alta. Maio do WTI em NY: US$ 22,84 o barril (+0,83%).
  • O Dollar Index registra baixa de 1,07%, a 101,73 pontos.

Mercado Interno 

O mercado brasileiro de soja teve um dia mais calmo nesta sexta, com preços mistos e negócios moderados. Chicago subiu, mas o dólar recuou. A falta de um direcionamento nos formadores da cotação doméstica afastou os operadores.

Ainda assim, houve registro de negócios. SAFRAS & Mercado aposta em movimentação próxima de 200 mil toneladas, com destaque para os mercados gaúcho e paranaense, com 50 mil toneladas trocando de mãos em cada um deles.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 93,50. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 93,00. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 100,00 para R$ 99,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço caiu de R$ 90,50 para R$ 89,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca baixou de R$ 98,00 para R$ 96,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca recuou de R$ 86,00 para R$ 84,00. Em Dourados (MS), a cotação baixou de R$ 83,00 para R$ 82,00. Em Rio Verde (GO), a saca ficou em R$ 83,50.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Dylan Della Pasqua - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.