As cotações do milho em Chicago fecharam em queda de 0,96% e o dólar tem valorização de 0,27%, fechando em R$ 4,1315. Já as cotações no mercado brasileiro oscilaram entre a estabilidade e leve alta. No Rio Grande do Sul o preço do milho spot se manteve estável nesta segunda-feira, ficando na faixa entre R$ 40,00-41,00 no interior.

No mercado físico do Paraná, o mercado de milho praticamente ainda parado, com pouquíssima oferta nos últimos 20 dias. Tendência de alta de preços diante da falta de oferta, observada especialmente no norte do Paraná, por produtores agrícolas e de cooperativas que não estão realizando fixações de produtos. Os preços giram entre R$ 39,00 nas fábricas e R$ 40,00 no porto. O milho futuro, na região de Ponta Grossa ficou em R$ 38,00.

Em Campinas (SP), os preços do milho abrem mais uma semana em ambiente firme. Nesta segunda-feira (21), a amostra da XP Investimentos tem alta de R$ 0,69/sc, com média de R$ 42,39/sc. É o maior valor desde 13/06/2018, ou seja, há mais de um ano.



De maneira geral, produtores e intermediários estão retraídos, pedindo mais pelos estoques de olho nas exportações. Compradores locais cedem aos poucos (fluxo de comercialização é baixo) e vão buscando apenas repor seus estoques, de olho nos movimentos de Chicago e da taxa de câmbio. Lá fora, os preços encontram suporte na baixa qualidade das lavouras e no clima ruim do Cinturão Agrícola norte americano dos últimos dias. As referências nos portos brasileiros para outubro permanecem em R$ 40,50/sc, também sob ambiente firme.

No Brasil, especulações envolvendo clima e chuvas permanecem na agenda para os próximos meses, dado tempo predominantemente seco e início do plantio em praticamente todo o país. Os preços oferecidos pela exportação, para vendedores distantes 600 km do porto, caiu para R$ 34,86 (35,00 do dia anterior) para dezembro, R$ 36,13 (36,22) e subiu para março e R$ 34,51 (33,97) para maio de 2020.

Já os milhos importados do Paraguai chegariam ao Oeste do Paraná ao redor de R$ 31,71 (R$ 31,63 anterior); ao Oeste de Santa Catarina ao redor de R$ 35,20 (35,10) e ao Extremo Oeste de SC ao redor de R$ 34,70 (34,61) /saca. O milho argentino a R$ 52,97 (53,09) e o americano a R$ 59,76 (59,96) no oeste de SC.

Com relação aos preços dos principais consumidores de milho, os preços do frango resfriado para o consumidor em São Paulo tiveram nova queda, de 1,71%, reduzindo o ganho mensal para 2,23% (4,01% no dia anterior). Os preços dos suínos no Paraná permaneceram estáveis, mantendo a alta acumulada no mês em 7,22%. Os preços do boi gordo em São Paulo fecharam com queda de 0,43%, com o acumulado se mantendo no território positivo em outubro e atingindo 1,05%.

Fonte: T&F Agroeconômica


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.