RS: Muita variação nos preços de fábrica para fábrica nesta quinta-feira; em Passo Fundo chegou a R$ 164,00

Bem complicado estabelecer os preços da soja no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira. Houve muitas variações de fábrica para fábrica. Mas, na média, os preços foram de R$ 161,00 no porto gaúcho de Rio Grande, com aumento de R$ 3,00/saca para pagamento em 6 de novembro.

Em Canoas o preço também subiu mais R$ 3,0 para R$ 161,00 para pagamento em 06 de novembro. Em Ijuí e em Cruz Alta subiu R$ 5,00/saca para R$ 162,00, para final de novembro, mas em Passo Fundo, subiu mais R$ 6,00/saca para R$ 164,00,para final de novembro. Em Santa Rosa, os preços voltaram para R$ 160,00/saca.

Soja futura, o preço subiu mais R$ 1,00/saca para R$ 137,00 entrega e pagamento em maio de 2021, o que equivale a R$ 131,00 no interior, no mercado de lote.

Paraná: Depois de recuperarem as perdas, subiram mais R$ 5-10,00/saca nesta quinta-feira

No mercado de balcão o preço oferecido ao agricultor na região de Ponta Grossa subiu mais R$ 5,00/saca para R$ 150,00. Na tabela no 1 acima pode-se ver os preços para os produtores em outras praças. No mercado de lotes, para entrega em outubro o preço também subiu R$ 10,00/saca para R$ 160,00/saca, em Ponta Grossa, pagamento meados de novembro. No interior dos Campos Gerais, porém, o preço subiu R$ 5,00 para R$ 160,00, retirada outubro, pagamento em novembro.

Em Paranaguá a cotação do mercado disponível subiu R$ 1,00/saca para R$ 155,00, entrega no mês e pagamento final de outubro (apenas referência, sem negócios). Já para a safra 2021, o preço recuou 1 real/saca para R$ 132,00/saca, em Ponta Grossa, entrega e pagamento abril/abril e fechou a R$ 134,00 em Paranaguá para entrega em março e pagamento em abril de 2021.



RELATÓRIO DA CHINA: China compra mais 3 cargos dos EUA e “vários” do Brasil, sem detalhes

No mercado à vista houve rumores de que a China comprou mais 4 cargas na quarta-feira com uma da PNW para fevereiro a 185 c/bu sobre os futuros de janeiro – refletindo o quão apertadas as coisas estão no Brasil para o início da colheita. Isso foi confirmado pelo USDA informando que mais 261.000 t foram vendidos para a China.

E nesta quinta-feira, houve rumores de que outras três cargas dos EUA haviam sido compradas para embarque de janeiro e “várias” do Brasil, embora os detalhes fossem escassos. No mercado da CFR China, o embarque de janeiro para fora do Golfo foi oferecido em torno de 260 c/bu em relação aos futuros de janeiro com níveis negociáveis indicados em 255-256 c/bu sobre os futuros de janeiro na quinta-feira.

As licitações para envio de outubro/novembro da PNW 233 c/bu sobre os futuros de novembro, mas nenhuma oferta firme foi relatada. Para a nova safra brasileira, as ofertas para embarque de fevereiro a 230-231 c/bu sobre os futuros de março versus lances que foram 5-6 c/bu menor.

A remessa de março ficou em 170 c/bu sobre os futuros de março contra ofertas a 180 c/bu sobre os mesmos futuros. Em essência, os preços eram em grande parte achatados no dia. Por outro lado, no mercado FOB no Brasil, o embarque de abril se consolidou ligeiramente (3 c/bu) no mercado de papel Paranaguá após uma demanda robusta da China e para compensar futuros mais fracos.

No entanto, os embarques mais instantâneos foram achatados com a oferta de fevereiro e oferecidos em 120 contra 130 c/bu, com março em 90 contra 95 c/bu, ambos sobre os futuros de março. Isso equivalia a um preço fixo de US $ 430,75/t e US $ 431,75 /t, respectivamente, deixando os preços em cerca de 50 centavos para um dólar no dia, refletindo futuros mais fortes.

Os spreads portuários para Santos foram de 5 c/bu e as ofertas de 95 c/bu e 100 c/bu para embarques de maio e junho, um aumento de 5-7 c/bu no dia para refletir a firmeza posterior. No Golfo dos EUA, os preços das barcaças CIF começaram a subir devido aos baixos níveis de água com barcos de fundo plano agora carregando algum peso morto e ofereceram 2-3/bu mais alto no dia. Outubro foi oferecido a 85 c/bu com 89 c/bu para novembro.

As ofertas de cargas do Golfo dos EUA também se moveram mais alto, embora fontes do mercado digam que os níveis em torno de 150 c/bu FOB para dezembro e janeiro ainda devem ser alcançáveis devido às margens de elevação de gordura.

Fonte: T&F Agroeconômica

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.