Visando altas produtividades de soja, aliadas a sustentabilidade do cultivo, é fundamental realizar um manejo adequado do solo, não somente do ponto de vista químicos e nutricional, mas também buscando alternativas que melhorem suas características estruturais e biológicas, de forma a abranger a conservação do solo.

Uma das principais ferramentas para isso é a adoção da rotação de culturas, buscando a diversificação de espécies e adequando o sistema de cultivo a finalidade desejada. O planejamento da rotação de culturas, bem como a escolha de espécies adequadas para integrar o sistema pode promover inúmeros benefícios diretos e indiretos ao cultivo da soja, tais como o controle de plantas daninhas nos períodos entressafra, rotação de mecanismos de ação de defensivos agrícolas, proteção do solo contra erosões superficiais, redução da amplitude térmica do solo ou até mesmo atuar no controle de pragas como espécies de crotalária atuam no controle de nematoides fitopatogênicos.

Confira também: Soja após Crotalária – aumento da produtividade e controle de nematoides

Entretanto, o posicionamento de culturas e/ou plantas de cobertura na entressafra da soja varia de região para região de cultivo em virtude de suas particularidades de clima, solo e disponibilidades de insumos. Para ambientes com climas mais amenos, sem a presença expressiva de períodos de frio, uma das alternativas para o cultivo na entressafra da soja é a Braquiária, que segundo Osmar Conte, pesquisador da Embrapa Soja, pode ser cultivada em sistema isolado ou em consorcio com o milho safrinha.



Com as novas tecnologias disponíveis para o cultivo da soja, assim como a competitividade da cultura e sua rentabilidade econômica, a soja passou a ser a cultura mais cultivada em solo brasileiro na safra de verão. Em contrapartida aumentou-se o cultivo do milho, principalmente em sucessão a soja, na modalidade de milho segunda safra ou milho safrinha como é popularmente conhecido.

A adoção do cultivo do milho safrinha em sucessão a soja possibilitou o maior uso da terra, além do manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas no sistema de produção, sendo a braquiária em consorcio com o milho uma interessante alternativa de cultivo, contribuindo para a sustentabilidade da produção, manejo de plantas daninhas e cobertura do solo.

Figura 1. Consorcio milho – braquiária.

Foto: Gessí Ceccon

Veja também: Consórcio de braquiária com milho melhora o solo e a produtividade da soja

Mesmo quando cultivada de forma isolada, Osmar destaca que a braquiária apresenta uma incrível capacidade de cobertura do solo, proporcionando um ambiente favorável à semeadura da soja, conservando umidade do solo e reduzindo a temperatura da sua superfície, o que pode contribuir para a maior sobrevivência das bactérias fixadoras de nitrogênio inseridas no sistema de produção por meio da inoculação de sementes de soja.

Outro fator interessante, é que a alta produção de matéria seca da cultura além de promover proteção ao solo contra erosões superficiais, possibilita o controle de plantas daninhas fotoblásticas positivas como a buva (Conyza spp.) invasora indesejada no cultivo da soja e que pode causar significativa redução da produtividade da cultura.

Figura 1. Palhada residual de Brachiaria ruziziensis (cultivo solteiro), dessecada cerca de 30 dias antes da semeadura da soja.

Fonte: Soja Radar da Tecnologia.

Segundo Osmar, a dessecação da braquiária no período de aproximadamente 30 dias antecedendo a semeadura da soja tem como finalidade evitar problemas operacionais no momento da semeadura como excesso de palha ou palha em condições inadequadas de corte.

Para ambientes de clima mais subtropical onde há períodos mais intensos de baixas temperaturas, o pesquisador destaca que outras espécies de cobertura do solo como a aveia podem ser utilizadas. Para essa regiões, além da aveia podemos citar espécies como o azevém, o nabo forrageiro, a ervilhaca, entre outras.



Cabe enfatizar que a escolha da espécie deve respeitar os princípios básicos da rotação de culturas e pode variar de acordo com a disponibilidade de sementes, insumos ou região de cultivo. Entretanto, visando a sustentabilidade e rentabilidade do cultivo da soja, é fundamental a utilização de plantas de cobertura e rotação de culturas no período entressafra da cultura da soja, sendo a braquiária uma ótima opção para áreas de clima mais quente.

Confira abaixo o vídeo completo com as dicas do pesquisador da Embrapa Soja Osmar Conte.


Inscreva-se no canal: Radar da Tecnologia Soja clicando aqui!!!


Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.