Por estar localizado em uma zona de clima tropical, o Brasil possui solos ácidos que apresentam carência de nutrientes e alta concentração de elementos tóxicos como alumínio, ferro e manganês. Consequentemente, a baixa fertilidade do solo interfere diretamente no setor agrícola, que precisa recorrer a métodos corretivos, como o uso de calcário, para garantir a fertilização da lavoura.

Apesar de ser comumente usado em plantações de todas as regiões do país, o calcário nem sempre é a opção que resulta em maior produtividade ou que representa o melhor custo-benefício. Com a evolução da tecnologia no setor agrícola, foi possível desenvolver produtos que apresentam melhor eficiência e otimizam toda a cadeia produtiva, desde as taxas de fertilidade do solo até maior produtividade na colheita.

Benefícios da correção do solo

Antes de tudo, vale reforçar que a correção do solo é necessária para proporcionar nutrientes essenciais ao crescimento da lavoura, bem como anular a acidez e a ação de elementos tóxicos. Nesse sentido, a prática de correção do solo permite:

  • maximizar os efeitos dos fertilizantes;
  • elevar o pH do solo;
  • aumentar a absorção de água;
  • acelerar a decomposição de resíduos;
  • melhorar o desenvolvimento das raízes das plantas.

Calcário nem sempre é a melhor opção

O uso de calcário é uma das técnicas mais antigas para corrigir os problemas do solo brasileiro. Por meio da calagem é possível fornecer os nutrientes necessários e garantir boas condições para que a plantação se desenvolva de maneira saudável.

Trata-se de um método relativamente mais barato para o produtor, se comparado ao uso de fertilizantes mais modernos. Contudo, a baixa tecnologia empregada na fabricação de calcário faz com que o produto apresente algumas desvantagens, que em uma análise geral, pode não garantir o melhor custo-benefício.

Para que realmente apresente o efeito desejado, as doses variam conforme a fertilidade de cada solo classificadas pelo Índice SMP ou pela saturação de bases onde podem varias de 1 a 15 tons/há. Além da alta concentração necessária, é um produto que tem dificuldade para atingir as camadas mais profundas do solo, penetrando de forma demorada e em pequena escala.

O calcário não atua durante todo o ciclo de vida de uma plantação. É importante que ele seja aplicado antes do plantio, mas também deve ser utilizado em plantas adultas para fornecimento de nutrientes essenciais, como cálcio e magnésio. Ou seja, é preciso reaplicar o produto, gerando ainda mais gastos e trabalho para o agricultor.

Por que utilizar Fertilizantes TMF?

Os fertilizantes TMF contam com tecnologia exclusiva, desenvolvida para resolver os problemas de baixa fertilidade dos solos brasileiros. O Calsite e Isofértil, nossos principais produtos, possuem ação imediata para otimizar as condições de fertilização, garantindo plantas saudáveis e com raízes profundas.

A tecnologia dos fertilizantes TMF atua na modificação da estrutura molecular do cálcio  com a ação do óxido de silício, tornando-o disponível para as culturas na solução do solo. Atuando em conjunto com os fertilizantes tradicionais, proporciona a liberação e o aumento da concentração e solubilidade do fósforo, além diminuir a atividade do alumínio e melhorar o pH em profundidade.

Com uma qualidade excepcional, os fertilizantes possuem alta eficácia, sendo recomendados sempre a partir de uma análise de solo para melhor determinar as necessidades de cada tipo de solo. Além disso, nossos produtos penetram com muita rapidez no solo e ficam disponíveis durante todo o período de crescimento da planta.

Comparativo Calcário x Fertilizantes TMF

Para que você entenda melhor as vantagens dos fertilizantes TMF, separamos alguns benefícios que nossos produtos apresentam em relação ao calcário. Confira!

  • Baixa dosagem na aplicação;
  • Maior facilidade de aplicação;
  • Diminuição da lixiviação e da perda de produto ao longo do tempo;
  • Ação imediata nos solos;
  • Menos mão-de-obra;
  • Aumento da biodiversidade microbiana;
  • Diminui a atividade de Alumínio tóxico em profundidade;
  • Maior resistência a doenças e pragas;
  • Regulação da evapotranspiração das plantas;
  • Melhor aproveitamento da água;
  • Potencialização dos efeitos dos fertilizantes NPK;
  • Atuação na construção do perfil do solo;
  • Maior produtividade no mesmo espaço;
  • E muitos outros.

Como vimos, os fertilizantes TMF apresentam benefícios muito mais significativos em comparação com o uso do calcário. O conjunto dessas vantagens promovem a redução de custos e maior produtividade, garantindo uma colheita farta e maior lucratividade para o agricultor.

Fonte: TMF fertilizantes inteligentes


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.