O nível atual da agricultura exige que o produtor rural desenvolva uma estratégia de produção, escolhendo as mais eficientes ferramentas. Ao optar por plantar crotalária, ele não somente investe na melhoria do solo como também reduz nematoides e aumenta a produtividade da soja.

Trabalho conduzido pelo Departamento de Pesquisa ATTO Sementes, que fez lado a lado, comparando produtividade de soja plantada sobre a palhada de milho e sobre a palhada do consórcio de milho com Crotalária Spectabilis, aponta que a área do consórcio produziu 7,4 sacas de soja a mais quando comparado ao milho solteiro.

O diretor de Produção do Grupo ATTO, engenheiro agrônomo Fernando de Resende Silva, explica que a crotalária é cultivada após a colheita de soja, ficando à cargo do agricultor plantar solteira ou trabalhar em consórcio na segunda safra. Iniciado na segunda quinzena de fevereiro, o plantio da crotalária, no Centro-Oeste, por exemplo, vai até 10 de março. Já o ciclo é de 180 dias.

Em pesquisa recente realizada com clientes ATTO Sementes, 48% afirmam usar crotalária anualmente, sendo que, destes, 25% já a utilizam em consórcio por ser uma alternativa muito eficaz. Ao mesmo tempo que o produtor tem a produção do milho, já trata o solo para a soja que virá na próxima safra. Outros 18% dos clientes afirmam usar a crotalária em consórcio com outras culturas, mostrando a sua versatilidade.

Leguminosa usada para cobertura de solo, suas funcionalidades vão muito além. Na melhoria do solo, ela promove um aporte de nitrogênio (N) que vai de 100 kg a 160 kg por hectare.

Outra função importante da crotalária é o combate aos nematoides. A Crotalária Spectabilis apresenta redução consistente de nematoides e fator de reprodução igual a zero para um dos principais inimigos da soja, o Pratylenchus brachyurus. Nesse caso, a crotalária pode ser usada como uma eficiente planta antagonista dos nematoides. “Uma excelente opção para rotação de cultura”, conta Resende.

Padrão

A crotalária da ATTO Sementes reúne não somente as características eficientes já apontadas como um alto padrão de pureza.

Foto: Divulgação Grupo ATTO Sementes

“Também temos como diferencial a qualidade de germinação da semente. Enquanto a do mercado chega a 50%, 60% de geminação, a nossa vai a 80%, garantindo a nossa eficiência no campo”, conclui Resende. 

Foto: Divulgação Grupo ATTO Sementes

 

Sobre o Grupo ATTO

Com sede em Rondonópolis (MT), o Grupo ATTO é a holding proprietária da ATTO Sementes – antiga Sementes Adriana, líder na produção de sementes de soja no Brasil com 40 anos de história na agricultura nacional. O fundador do grupo, Odílio Balbinotti, chegou a Mato Grosso em 1980 e, mesmo com os desafios da época, conseguiu produzir sementes de qualidade para uma então nova fronteira agrícola, no município de Alto Garças. Desde 2003 a empresa é presidida por Odilio Balbinotti Filho e, além da semente de soja, passou a produzir sementes de milheto, crotalária, azevém e brachiaria, que plantam mais de 1,5 milhão de hectares no Brasil e mais oito países. Em setembro de 2019, o Grupo lançou a plataforma PlantUP, que vem contribuir com a tomada de decisão do agricultor, alinhada com o propósito de elevar sua competitividade sem o aumento de custos.

Fonte: Assessoria de imprensa Grupo ATTO

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.