Autores: Taís Ferreira de Almeida1,2; Ana Carolina Fleury Curado1,3; Frederico Ataíde de
Mello1,4; Vilmar de Araújo Pontes Júnior1,5; Letícia Iannacone Di Maio Silva5; Antônio José Alves Moreira7

Introdução 

O cultivo da soja é a atividade com maior retorno financeiro em toda cadeia do agronegócio brasileiro. O planejamento do plantio é essencial para o bom desenvolvimento e rendimento da cultura, bem como as etapas iniciais de estabelecimento da planta. A semente atua como uma protagonista, sendo o insumo que encapsula a informação genética e os produtos químicos para o início da cultura.

A importância do tratamento de sementes com fungicidas, no contexto atual da agricultura brasileira, dispensa maiores argumentações, considerando o seu valor como medida preventiva no manejo integrado de inúmeras doenças e pragas que impactam econômicamente na cultura da soja.

Visando a otimização de cobertura e aderência dos produtos utilizados no tratamento de sementes, a aplicação de polímeros atua como uma aliada da prática. Outra técnica de manejo que contribui para maior competição da planta, principalmente em condições adversas, é o uso de enraizantes. Os enraizantes podem ser compostos por uma exclusiva combinação de ingredientes, contribuindo para melhor adaptação a ambientes estressantes, visando garantir a produtividade. Podem ser utilizados junto ao tratamento de sementes ou aplicados no sulco de semeadura, sendo mais uma tecnologia aliada ao cultivo da soja.

Diante do apresentado, o objetivo desse trabalho foi verificar a eficiência do tratamento de sementes em combinação com polímeros e enraizantes no desenvolvimento da cultura da soja.

Material e Métodos 

O ensaio foi instalado na área experimental da Fazenda Santa Vitória – Emater, localizada no município de Araçu – GO. Foi utilizada a cultivar Brasmax FOCO IPRO de ciclo precoce. Utilizou-se os seguintes tratamentos:

  • T1- semente nua;
  • T2 – Thiram + Vitavax;
  • T3 – T2 + polímeros;
  • T4 – T3 + enraizador;
  • T5 – T2 + enraizador.

Todos os manejos fitossanitários e práticas agronômicas necessários para o bom desenvolvimento da cultura foram realizados.

Para avaliação do desempenho agronômico, verificou-se as seguintes características: massa seca de raiz; volume radicular; número de vagens e peso de mil grãos. A determinação de massa seca de raiz foi feita com pesagem das amostras após secagem em estufa até a estabilidade do peso e o volume radicular foi determinado de acordo com a metodologia proposta por Basso (1999). O número de vagens e peso de mil grãos, foi determinado em uma área de 4m² por parcela, as quais foram quantificadas e debulhadas. Para determinação do peso de mil grãos, a umidade foi ajustada para 13%.

O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, com cinco tratamentos e seis repetições. Cada parcela experimental foi constituída de seis linhas com seis metros de comprimento, tendo sido avaliadas as quatro linhas centrais. Os dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e as médias comparadas pelo teste Scott Knott a 0,05 de significância pelo programa AgroEstat® (Barbosa & Maldonado Jr, 2015).

Resultados e Discussão 

Os resultados obtidos em relação aos parâmetros: massa seca do sistema radicular, volume radicular, peso de 100 grãos e número de vagens planta-1, apresentaram interação positiva entre os diferentes tratamentos (Tabela 1).

As equações de regressão e os coeficientes de determinação resultantes das análises de regressão para todos os parâmetros avaliados estão apresentados na Figura 1. A maior massa seca de raiz, volume radicular e número de vagens, foi obtida nos tratamentos T4 e T5. Para o peso de mil grãos, os melhores resultados foram obtidos nos tratamentos T3, T4 e T5, não havendo diferença significativa estatisticamente entre eles.

A prática do tratamento de sementes de soja associada com outras tecnologias como uso de polímeros e enraizadores, permite uma melhor plantabilidade e desempenho da cultura a condições diversas, como por exemplo o déficit hídrico. A adoção dessa prática proporciona melhor desenvolvimento inicial da cultura e contribui para a obtenção do estande inicial almejado.

O tratamento de sementes de soja é considerado o método mais eficiente no controle de pragas e doenças durante o desenvolvimento inicial da cultura, podendo evitar possíveis perdas decorrentes da ação de pragas e doenças de solo e da parte aérea, que danificam as sementes e as plântulas (Dan et al., 2010). O uso de tecnologias associadas a semente, permite maior economia de produto, segurança ambiental e proteção inicial a planta.

Conclusão 

Conclui-se que o uso de polímeros e produtos enraizadores, associados ao tratamento de sementes, proporcionou melhor desempenho nos parâmetros agronômicos avaliados.

Informações sobre os autores:

  • 1Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária – Emater, Goiânia-GO.
  • 2Pesquisadora, Lab. de Fitopatologia e Sementes. Email: taisfa@yahoo.com.br
  • 3Pesquisadora, Lab. de Entomologia e Controle Biológico. Email: anacarolinafleury@hotmail.com
  • 4Assessor, Lab. de Fitopatologia e Sementes. Email: frederico.mello@goias.gov.br
  • 5Pesquisadro, Programa de Melhoramento Genético. Email: vilmarpjr@hotmail.com
  • 6Pesquisadora, Programa de Melhoramento Genético. Email: leticia_dimaio@hotmail.com
  • 7Gerente de Estação, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária – Emater, Araçu-GO. Email: antonio.moreira@goias.gov.br

Referências

BARBOSA, J.C. & MALDONADO JÚNIOR, W. Experimentação Agronômica & AgroEstat: Sistema para Análise Estatística e Ensaios Agrônomicos. Jaboticaba: Gráfica Multipress Ltda. 2015. 396p.

BASSO, S. M. S. Caracterização morfológica e fixação biológica de nitrogênio de espécies de Adesmia DC. e Lotus L. 1999. 268 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

DAN, L. G. M. et al. Qualidade fisiológica de sementes de soja tratadas com inseticidas sob efeito do armazenamento. Rev. Bras. Sementes, Londrina, v. 32, n. 2, p. 131- 139, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222010000200016.

GOULART, A. C. P. Tratamento de sementes de soja com fungicidas: tratamento em evolução. Cultivar: grandes culturas, ano 19, n. 229, p. 18-20, jun. 2018.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.