Semeadura do milheto após a soja: densidade, quantidade de sementes e adubação.

Um dos principais atributos do sistema plantio direto é proporcionar condições adequadas de cobertura do solo, reduzindo erosões superficiais, aumentando a conservação do solo e reduzindo sua amplitude térmica. Para tanto é necessário um adequado sistema de cultivo que possibilite a produção de resíduos vegetais de qualidade e em quantidades suficientes para promover boa cobertura do solo.

Confira o texto na íntegra aqui.



La Niña deve continuar no verão: aumento de chuva é esperado no Rio Grande do Sul

Para os próximos meses, há uma probabilidade que permaneçam as condições do fenômeno La Niña, o que deverá contribuir para o aumento das precipitações no verão. É o que indica o boletim de janeiro, fevereiro e março de 2021 do Conselho Permanente de Agrometeorologia Aplicada do Estado do Rio Grande do Sul (Copaaergs). As previsões apresentadas para o trimestre são resultado do Modelo Regional Climatológico implementado no Centro de Pesquisas e Previsões Meteorológicas (CPMet/UFPel) e do modelo do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET).

Acessa a notícia na íntegra aqui.


Densidade de plantas: a chave para boas produtividades?

Durante seu ciclo de desenvolvimento, a soja está sujeita ao ataque de diversas pragas as quais podem prejudicar o crescimento e desenvolvimento da cultura, causando perdas qualitativas e quantitativas, ou até mesmo comprometer a viabilidade do cultivo. No início do desenvolvimento da cultura, é preciso atentar para o manejo e controle de pragas que possam causar redução do estande de plantas ou prejudicar o desenvolvimento da cultura, como os caracóis e lesmas, a lagarta-elasmo (Elasmopalpus lignosellus), lagartas do gênero Helicoverpa, as vaquinhas (Diabrotica speciosa) tamanduá-da-soja (Sternechus subsignatus) e coros como o Demodema brevitarsisDiloboderus abderus e Phyllophaga triticophaga.

Confira o texto na íntegra aqui.


Quanto nitrogênio a cultura da soja precisa para atingir altos rendimentos?

Considerando um rendimento de 3.000 kg de grãos/ha, a planta necessita, portanto, 240 kg de N/ha. Os solos brasileiros são pobres em N, normalmente sendo capazes de fornecer somente de 10 a 30 kg de N/ha e, considerando a contribuição máxima de 30 kg de N, haveria uma pequena redução da demanda de N, para 210 kg de N/ha.

Se forem utilizados fertilizantes nitrogenados, as perdas de N são elevadas, por lixiviação, escorrimento superficial, desnitrificação e volatilização, raramente excedendo 50% do aplicado. Consequentemente, na verdade seriam necessários 420 kg de N/ha , ou 930 kg de ureia, a forma mais utilizada, que contem 45% de N.

O texto completo você encontra aqui.


Interferência de nematoides na produtividade da soja

Fonte: TMG – Lavoura afetada com nematoide do cista na soja

Em virtude da diversidade de pragas e doenças que podem incidir sobre a cultura da soja durante seu ciclo de desenvolvimento, a produção de soja em qualidade e quantidade competitiva e satisfatória é cada vez mais difícil. Em algumas lavouras, certas pragas já estão instaladas na área de cultivo, a exemplo dos nematóides fitopatogênicos que apresentam difícil controle e podem causar danos significativos para a cultura da soja.

Confira o texto completo aqui.


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.