Diferentes inseticidas em pulverização no controle de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith, 1797) na cultura do milho

Autores: Silvestre Bellettini; Nair M. T. Bellettini; Giorla C. P. de Moraes; Guilherme H. T. Alves; João H. S. Andrzejewski; Gabriel D. de S. Pacheco

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores

A lagarta-do-cartucho é uma das pragas mais importantes da cultura do milho no Brasil. Alimentam-se das folhas, reduzindo a área foliar, afetando a capacidade fotossintética da planta e, consequentemente, a produção. Avaliou-se em Bandeirantes-PR, diferentes inseticidas no controle da lagarta-do-cartucho do milho, utilizando cultivar Semeali 60 XB-14, no espaçamento de 0,9 m entre linhas com 5 plantas por metro.

O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com 9 tratamentos e 4 repetições, parcelas de 18 m². Efetuou-se duas aplicações com intervalo de 7 dias com os tratamentos em i.a./ha: benzoato de emamectina (Proclaim 50 WG) 7,5 e 10 g; clorantraniliprole + lambdaciolotrina (Ampligo) 15 + 7,5 g; flubendiamida (Belt) 48 g; espinoteram (Exalt) 9 g; clorfenapir (Pirate) 180 g; metomil (Lannate) 215 g; metaflumizone (Verismo) 192 g e testemunha (sem inseticida), com pulverizador de pressão constante (CO2) barra de 2 m, 4 bicos EF 80.02 espaçados de 50 cm, pressão de 45 lb/pol² e volume de calda de 150 litros/ha.


Confira nossa galeria de cursos TOTALMENTE ONLINE! Agregue conhecimento, faça já!


As avaliações foram efetuadas em pré-contagem e aos 4 e 7 dias após a primeira aplicação e 4, 7, 10 e 14 dias após a segunda aplicação, contando-se as plantas sadias e danificadas nas duas linhas centrais por parcela, atribuindo-se notas 4 e 5 conforme escala de danos de Bianco: Notas zero = plantas isenta de ataque; 1 = plantas com folhas raspadas; 2 = plantas com folhas externas danificadas; 3 = plantas com folhas do cartucho pouco danificadas; 4 = plantas com cartucho fortemente danificado e 5 = plantas com cartucho destruído, calculando a porcentagem de plantas danificadas.

Concluiu-se que os tratamentos benzoato de emamectina (Proclaim 50 WG) 7,5 e 10 g clorfenapir (Pirate) 180 g; metomil (Lannate) 215 g e metaflumizone (Verismo) 192 g i.a/ha, aos 4 e 7 dias após a primeira aplicação e aos 4, 7, 10 e 14 dias após a segunda aplicação, apresentaram eficiência igual ou superior a 80% no controle da lagarta do cartucho na cultura do milho.

Palavras-chave: controle químico; Zea mays; lagarta-do-cartucho

Informações dos autores:

¹Universidade Estadual do Norte do Paraná, Campus Luiz Meneghel, UENP/CLM-Centro de Ciências Agrárias, Caixa Postal 261, CEP 86360-000, Bandeirantes-PR, Brasil, Email:bellettini@uenp.edu.br.

²Syngenta Proteção de Cultivos, São Paulo-SP.

³Acadêmicos da UENP/CLM.

Disponível em: Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Entomologia,  2018. Gramado, RS.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.