O mercado brasileiro de algodão manteve a tendência de alta nesta terceira semana de maio. “A disponibilidade curta e a necessidade de abastecimento da indústria seguem sustentando as cotações da pluma”, destaca o analista e consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Carlos Barabach.

No polo industrial de São Paulo, a fibra nacional era cotada a R$ 8,00 por libra-peso no dia 19 de maio, ante R$ 7,95 por libra-peso no dia 12. “Mas os negócios ficaram travados porque a pedida do vendedor oscilou em torno de R$ 8,10 por libra-peso”, relata o analista. No comparativo ao mesmo período de um mês, a valorização foi de 11,11% e, no acumulado de um ano, foi de 56,63%.

A pluma no FOB exportação do porto de Santos/SP encerrou a quinta-feira (19) cotada a 168,13 centavos de dólar por libra-peso. Ante o contrato julho/22 na Bolsa de Nova York, ficou indicada a 13,83% mais alta. Há uma semana, era de 19,1% superior.

O Brasil exportou 136 mil toneladas de pluma de algodão em abril de 2022, totalizando uma receita de US$ 306,6 milhões. Apesar do volume 23,2% inferior ao registrado no mesmo mês de 2021, a receita subiu 1,9% em dólares embarcados para o mercado exterior. As informações partem da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa).

No mês de abril de 2022, os maiores compradores do algodão brasileiro foram Vietnã e Turquia, somando 58,7 mil toneladas para os dois destinos – o equivalente a 43% das exportações totais. Em comparação com abril de 2021, as maiores quedas de importação foram registradas pela China (-27 mil toneladas) e Bangladesh (-15,5 mil toneladas). Por outro lado, sete países ampliaram as compras do Brasil, com destaque para Paquistão (+11,7 mil toneladas) e Indonésia (+5,5 mil toneladas).

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Rodrigo Ramos - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.