Os preços da soja apresentaram forte valorização no mês de agosto nas principais praças do país e o ritmo da comercialização também ganhou força. A sustentação foi garantida pelo fator câmbio, com o dólar subindo quase 10%. Os prêmios também contribuíram, enquanto os contratos futuros em Chicago registraram queda.

A saca de 60 quilos subiu de R$ 74,50 para R$ 84,00 em Passo Fundo (RS) em agosto. Em Cascavel (PR), o preço passou de R$ 73,00 para R$ 83,00. No Porto de Paranaguá, a cotação pulou de R$ 79,00 para R$ 89,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca avançou de R$ 68,50 para R$ 80,50. Em Dourados (MS), o preço passou de R$ 69,50 para R$ 79,00. Em Rio Verde (GO), a cotação subiu de R$ 71,00 para R$ 78,50.

O dólar comercial apresentou valorização de 9,27% em agosto, passando de R$ 3,818 para R$ 4,172. A intensificação da guerra comercial entre Estados Unidos e China e a ameaça de recessão global fizeram com que os investidores procurassem opções mais seguras, como o dólar.

Os prêmios de exportação também subiram, compensando a queda de Chicago e avaliando a perspectiva de maior demanda chinesa. Nos portos, para outubro, o prêmio chegou a atingir níveis de 160 pontos acima de Chicago, contribuindo para a elevação das cotações internas.

Já os contratos futuros em Chicago apresentaram queda. Os contratos com entrega em novembro caíram 1,47%, encerrando o dia 29 de agosto na casa de US$ 8,68 ½. A guerra comercial e indícios de melhora no clima nas regiões produtoras americanas pressionaram o mercado internacional.

Fonte: Agência SAFRAS


Texto originalmente publicado em:
Safras&mercado
Autor: Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.