O controle biológico de pragas, em substituição ao uso de agrotóxicos, e a recomposição de habitats, com plantio e preservação de vegetação nativa, foram defendidas por especialistas como uma forma de proteger abelhas e outros animais polinizadores. O problema foi discutido nesta quarta-feira (18) na Comissão de Agricultura (CRA), em audiência pública sobre um projeto de lei do senador Lasier Martins (Podemos-RS) que visa estimular pesquisas e medidas de proteção às populações de polinizadores (PL 1.918/2019).

Coordenador-geral de Agrotóxicos do Ministério da Agricultura, Carlos Venancio afirmou que a pasta (que liberou neste ano um número de agrotóxicos 15% maior do que no mesmo período do ano passado) quer aumentar o controle do uso dos defensivos, por meio do cadastro de aplicadores. Paralelamente, garantiu Venancio, o ministério investe em alternativas aos agrotóxicos, como o uso de fungos e parasitas para o combate às pragas, o chamado controle biológico.

— De 2016 para 2017, a produção de produtos biológicos e microbiológicos cresceu 77%, mesmo com o país em crise. É realmente uma tecnologia que está avançando de maneira espetacular.

O pesquisador da Embrapa Décio Gazzoni advertiu que o uso indiscriminado de agrotóxicos impacta na população de polinizadores. As soluções para o problema envolvem também mitigação dos efeitos das mudanças climáticas e recomposição de habitats, com plantio e preservação de vegetação nativa, afirmou:

— Os nossos corredores ecológicos, a nossa legislação florestal é um patrimônio, é uma coisa que depõe muito a nosso favor, a favor do Brasil.

Lasier defendeu a proteção legal às populações de polinizadores.

— A mortandade de abelhas no Brasil e, particularmente, no Rio Grande do Sul, foi que nos motivou [a apresentar] esse projeto de lei. O que estou propondo é que sejam previstos dispositivos na Política Nacional do Meio Ambiente, na Lei de Agrotóxicos, no Novo Código Florestal, na Lei de Biodiversidade, que protejam os polinizadores, que têm uma importância transcendental, pelo que vimos até agora.

Reprodução das espécies

A polinização é o transporte do pólen que permite a reprodução de espécies vegetais. Algumas plantas só produzem sementes e frutos quando polinizadas. Insetos como abelhas e animais como morcegos e beija-flores funcionam como polinizadores, transportando esse pólen e contribuindo para a biodiversidade.

Os agrotóxicos usados no controle de pragas podem matar esses animais. Neste ano, o governo já autorizou a comercialização de 353 agrotóxicos no mercado.

Para o autor do pedido de audiência e relator do PL na comissão, senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS), é muito importante que a comissão escute o governo, pesquisadores e mesmo os produtores rurais.

— Temos de desmistificar esse processo. As pessoas que estão aqui nos dão um norte para que possamos nos orientar no relatório que vamos produzir, para que seja o mais isento possível. Precisamos preservar, sim, nosso meio ambiente, nossas abelhas, mas também o agricultor e a produção rural, o carro chefe do nosso país e que já enfrenta tantos problemas — afirmou.

Da Rádio Senado

Fonte: Agência Senado

Texto originalmente publicado em:
Agência Senado de Notícias
Autor: Da Rádio Senado

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.