Para a boa produtividade de uma cultura, é necessário que não haja fatores limitantes a sua produção. Os principais limitantes são a disponibilidade hídrica, a deficiência nutricional e a baixa disponibilidade de radiação solar, contudo, alguns fatores indiretos como a compactação do solo também podem interferir na produtividade da cultura.


Veja também: Você sabe quanto está perdendo em produtividade pela compactação do solo?  Clicando AQUI.


Visando altas produtividades, a correção e manutenção da fertilidade do solo é essencial e com isso deve-se atentar para alguns nutrientes no solo, sua disponibilidade e influencia na fisiologia da planta. Um dos nutrientes mais utilizados e visados na agricultura é o Nitrogênio. O Nitrogênio desempenha papel fundamental no metabolismo das plantas para sua sobrevivência, desenvolvimento e crescimento.

Segundo FAQUIN (2005) o Nitrogênio é o macronutriente mais exigido pelas plantas, sendo o quarto elemento com maior participação na composição estrutural de uma planta, antecedido pelo Carbono, Hidrogênio e Oxigênio (tabela 1). É componente estrutural de macromolécular, enzimas, aminoácidos e proteínas, além de estar presenta na clorofila, DNA, RNA, ATP, coenzimas, NAD, NADP e de participar de inúmeros processos bioquímicos no interior das plantas.

Tabela 1. Composição elementar de uma planta de soja.

Fonte: MALAVOLTA (1980).


Além disso, o nitrogênio é um nutriente que apresenta respostas perceptíveis quanto utilizada sua complementação na adubação, sendo em algumas culturas empregado a lanço na forma de uréia (gramíneas em geral) ou também na base de semeadura. Contudo, para algumas culturas não é necessária a complementação de nitrogênio via adubação, isso por que essas plantas apresentam a capacidade de aproveitar o nitrogênio atmosférico.

O nitrogênio atmosférico não está prontamente disponível as plantas, para sua absorção é preciso que ocorram processos de transformação da molécula de N2 para formas absorvíveis pelas plantas, ou seja, Nitrato (NO3-) e amônio (NH4+). Conforme OLIVEIRA et al. (2019) nas plantas, esse processo ocorre através de uma relação simbiótica entre planta e bactérias fixadores de nitrogênio do gênero Bradyrhizobium o que resulta na Fixação Biológica de Nitrogênio, conhecida como FBN.

Contudo, além do nitrogênio, outro nutriente desempenha funções semelhantes nas plantas, não tão vastas e em menor escala, tendo como principal função segundo SFREDO E LANTMANN (2007), estruturar aminoácidos como cisteina, cistina, metionina e taurina, além de estar presente em todas as proteínas vegetais e atuar de forma indireta na formação de clorofila. Trata-se do Enxofre (S), que segundo o Prof. Tales Tiecher “é o macronutriente mais negligenciado na agricultura brasileira”.

Confira o Vídeo Abaixo com as dicas do Prof. Tales.

Apesar de “não haver conhecimento dos teores críticos de enxofre”, o acompanhamento dos níveis de enxofre no solo, sua correção e manutenção é fundamental para garantir uma nutrição adequada para as plantas. Do ponto de vista fisiológico, os sintomas de deficiência de enxofre se assemelham muito aos sintomas causados pela deficiência de nitrogênio, causado clorose em folhas, decorrente da diminuição dos teores de clorofila (figura 1 e 2)

Figura 1. Folha de milho com sintoma de deficiência de nitrogênio.

Foto: IPNI SHARMA E KUMAR

Figura 2. Planta de milho com sintomas de deficiência de enxofre.

Foto: IPNI SHARMA E KUMAR

Apesar do enxofre apresentar menor participação na composição elementar de uma planta (tabela 1), em decorrência do seu papel na fisiologia da planta seus sintomas de deficiência se assemelham muito aos sintomas de deficiência de nitrogênio, contudo podendo aparecer em menor intensidade. Portanto, o nutriente merece atenção assim como o nitrogênio e por apresentar menor requerimento pelas plantas sua manutenção no sistema produtivo é menos intensa e pode ser realizado com o uso de corretivos de solo como o gesso agrícola.

Saiba mais, veja também: Enxofre em soja clicando aqui

Inscreva-se no canal do Mais Soja e fique por dentro das dicas e novidades do Agro, clicando aqui.

Referências:

FAQUIN, V. NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS. UFLA, FAEPE, Lavras, 2005.

MALAVOLTA, E. ELEMENTOS DE NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS. São Paulo, Ceres, 1980. 251p.

NUTRI-FATOS. INFORMAÃO AGRONÔMICA SOBRE NUTRIENTES PARA AS PLANTAS, ENXOFRE. IPNI. Disponível em: http://www.ipni.net/publication/nutrifactsbrasil.nsf/0/493B703CAD4816D38325818600436380/$FILE/NutriFacts-BRASIL-4.pdf, acesso em: 12/04/2020.

NUTRI-FATOS. INFORMAÃO AGRONÔMICA SOBRE NUTRIENTES PARA AS PLANTAS, NITROGÊNIO. IPNI. Disponível em: http://brasil.ipni.net/ipniweb/region/brasil.nsf/0/AB7CA2719FEC206683257AA0003BE92A/$FILE/Nutrifatos.pdf, acesso em: 12/04/2020.

SFREDO, G. J; LANTMANN, A. F. ENXOFRE NUTRIENTE NECESSÁRIO PARA MAIORES RENDIMENTOS DA SOJA. Circular Técnica 53, Embrapa, Londrina, set. 2007.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.