O mercado brasileiro de trigo segue atento ao clima sobre as lavouras dos principais estados produtores. No Paraná, a safra foi cortada devido a perdas pelas geadas e no Rio Grande do Sul, os trabalhos avançaram pouco na semana e não foram concluídos, contrariando expectativas.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório mensal, que a safra 2019 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 2,725 milhões de toneladas, 3% abaixo das 2,808 milhões de toneladas colhidas na temporada 2018.

No relatório anterior havia uma expectativa de crescimento de 15% frente à temporada anterior, mas as lavouras foram severamente afetadas pelo clima frio e a ocorrência de geadas no estado.

Segundo o Deral, a área cultivada deve cair 8%, ficando em 1,008 milhão de hectares, abaixo dos 1,102 milhão cultivados em 2018. A produtividade média é estimada em 2.702 quilos por hectare, 5% acima dos 2.567 quilos por hectare registrados na temporada 2018.

As lavouras estão em boas condições (63%), condições médias (27%) e ruins (10%), divididas entre as fases de desenvolvimento vegetativo (41%), floração (29%), frutificação (29%) e maturação (1%). A comercialização atinge 4%.

A estimativa de quebra na safra de trigo foi elevada na área de abrangência da Cooperativa Coopavel, que atua em 17 municípios do oeste e sudoeste do Paraná. Conforme fonte da cooperativa, que concedeu entrevista exclusiva à Agência SAFRAS, a queda na produtividade está avaliada agora em 46%, ante 44% na semana anterior. Antes, eram esperados 3.460 quilos por hectare. “Agora, a produtividade está estimada em 1.870 quilos por hectare”, ressalta. Na semana passada, o rendimento estava previsto em 1.930 quilos por hectare.

Rio Grande do Sul

O plantio de trigo no Rio Grande do Sul avançou um ponto percentual, alcançando 99% da estimativa inicial de 739,4 mil hectares. Áreas que ainda deverão ser plantadas encontram-se exclusivamente na regional de Caxias do Sul, cujo plantio se estende até 20 de agosto, conforme zoneamento agrícola de risco climático.

Lavouras de trigo plantadas no início do zoneamento entraram no estádio de alongamento do colmo. O estado fitossanitário das lavouras é bom, e os triticultores realizam os tratos culturais com adubação em cobertura, controle de plantas invasoras e os tratamentos fitossanitários preventivos. O preço médio semanal no Rio Grande do Sul foi de R$ 41,05/sc., valor 0,12% superior ao da semana anterior.

Argentina

O plantio do trigo para a nova safra já atinge 96,4% da área na Argentina. Os trabalhos avançaram 4,3 pontos percentuais desde a semana passada. A superfície total é estimada em 6,6 milhões de hectares, 400 mil hectares acima do ano passado e a maior área em 18 anos. Em números absolutos, foram semeados 6,36 milhão de hectares.

Fonte: Agência SAFRAS


Texto originalmente publicado em:
Safras&mercado
Autor: Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.