Com o crescente aumento da área de algodão no estado e com a valorização da pluma nos últimos anos o VBP do algodão hoje participa de um total de 16% das culturas do estado de MT, percentual este do total de 77% da participação da agricultura. Com isso, o Imea divulgou a nova estimativa de 2019 para o VBP referente ao ultimo trimestre, trazendo novas revisões.

Segundo o relatório, o novo panorama aponta um aumento de 3,40% em relação à última previsão de R$ 12,39 bilhões, sendo assim, a nova projeção para a safra está prevista em R$ 12,81 bilhões.

Essa alta do VBP do algodão se dá em decorrência da melhora nos preços negociados até o momento, aliada ao aumento da estimativa de produção da pluma para a safra 18/19. Com a comercialização ainda não fechada para a safra 18/19, o fator preço poderá continuar influenciando na projeção do VBP, visto que a oscilação do dólar tem contribuído para isso. Para saber mais acesse aqui.

Confira os principais destaques do boletim:

• Pela segunda semana consecutiva o preço Imea-MT se manteve em alta, exibindo um acréscimo de 1,19%, aliado ao reflexo das cotações da ICE, e com isso encerrou a semana a R$ 76,05/@.

• Em alta nesta semana as paridades de exportações dez/19 e jul/20, avançaram 5,30% e 3,85%, marcadas pela alta da bolsa de NY, ficando cotadas a um valor médio de R$ 86,21/@ e R$ 92,07/@, respectivamente.



• Reagindo a previsão da taxa de juros da Selic 2020, junto com as incertezas de um acordo entre China e EUA, o dólar encerrou a semana em alta de 1,08%, cotado a um preço médio de R$ 4,15 US$.

• O caroço teve uma queda na semana e com isso os demais subprodutos seguiram sua trajetória, 1,23%, 0,24% e 1,02%, desta forma, encerraram a um preço médio de R$ 408,12/t, R$ 491,88/t e R$ 2.094,05/t, para caroço, torta e óleo, respectivamente.

Despesas maiores:

O Imea divulgou na semana do dia 14/10 o relatório do custo de produção de algodão referente ao mês de setembro em Mato Grosso para a safra 2019/20, apontando um aumento em relação à safra 2018/19.

Os ajustes se deram principalmente pelo aumento nos custos operacional e total, e os principais fatores que interferiram nesse aumento foram o avanço do dólar, visto que boa parte desses insumos é cotada pela moeda norte-americana, como defensivos agrícolas e sementes de algodão.

Segundo o Instituto, a alta foi de 5,82% e 5,86% para os custos operacional e total, respectivamente. Desta forma, é importante que o produtor continue gerenciando seus gastos e as oportunidades no mercado.

Para que o cotonicultor consiga cobrir os seus custo operacional e total é necessário que negocie sua pluma a um preço médio de R$ 78,39/@ e R$ 83,14/@, respectivamente.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.