InícioDestaqueJuros altos e quebra da safra reduzem vendas de máquinas para a...

Juros altos e quebra da safra reduzem vendas de máquinas para a agricultura

 Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) apresentou, na última quarta-feira (28), indicadores conjunturais que mostram uma queda na receita líquida de vendas no setor de máquinas e equipamentos, em geral. O recuo aconteceu tanto na comparação mensal (0,3% com ajuste sazonal) como interanual (-21,7%).

Exportações 

A exportação de máquinas para a agricultura teve queda de 8,7%. Em comparação ao mesmo período do ano passado e elevação de 4,1% em relação a dezembro/23.

Importações

Janeiro deste ano registrou crescimento nas importações de máquinas e equipamentos, em geral, tanto em relação ao mês imediatamente anterior (4,8%), quanto se comparado ao mesmo período do ano passado (7,3%).

No mês foram importados US$ 2,3 bilhões em máquinas e equipamentos, contra US$ 2,1 bi em janeiro de 2023. Em dezembro do ano passado, as importações foram de US$ 2,2 bilhões. Na análise interanual por segmento de mercado, quatro setores – dos sete monitorados – registraram aumento nas importações.

O setor de máquinas agrícolas, uma das áreas mais dependentes de crédito, teve queda de 15,1%, que sofreu ainda com a variação cambial e a baixa dos preços das commodities.

Máquinas agrícolas

O setor de máquinas agrícolas, que é um subsegmento de máquinas para agricultura, teve um resultado negativo na receita total em janeiro deste ano com uma queda de 32,8% no faturamento, em comparação a janeiro/23.

Em quantidades, a venda de colheitadeira para o mercado interno caiu 70% e a de tratores recuou 40%. Devido à seca, a redução de vendas dá-se nas colheitadeiras de soja.

Futuro

De acordo com Pedro Estevão, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos Agrícolas da Abimaq, o segundo semestre pode ter números melhores, a depender do clima e do resultado da segunda safra brasileira de milho. “Também esperamos que o Plano Safra tenha juros menores para impulsionar os investimentos”.

Sobre os preços das commodities, o representante da Abimaq disse que não deve piorar muito mais do que está hoje. “Porém isso também depende do pós- plantio da safra americana e da safra da Argentina. Ainda temos muitas variáveis”.

“Reforço que precisamos aumentar a área plantada em, pelo menos, 30% a 40%, e ainda a exportação global de alimentos também nesta média de 30%”, finalizou Pedro Estevão.

Fonte: SNA



 

FONTE

Autor:SNA

Site: SNA

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares