A menor estimativa de produção para a safra atual (-5%) somado à projeção de uma importação de 6,8 milhões de toneladas resultará em um estoque de passagem de 550,6 mil toneladas, o menor da série dos últimos oito anos.

A menor disponibilidade de trigo nacional vem interferindo nas cotações nos dois principais estados produtores, além da alta cambial que vem dificultando as aquisições de produto importado, apesar de o mês em análise ter apresentado menor liquidez na comercialização.

Em dezembro, o trigo pão foi negociado a um preço médio de R$ 48,19 a saca no Paraná, apresentando valorização mensal de 4,9%, e no Rio Grande do Sul, valorização de 3,6%, sendo a média mensal cotada a R$ 40,3 a saca.

Já a cotação FOB Golfo apresentou valorização de 3,13% diante do melhor desempenho nas exportações norte-americanas, aos avanços no acordo comercial entre os Estados Unidos e China, às retenções (impostos de exportação) argentinas e devido à preocupação com o clima em importantes regiões produtoras de trigo mundiais (Canadá, Estados Unidos, União Europeias, Ucrânia, Rússia, Austrália e Argentina. A média mensal foi cotada a US$ 231,23 a tonelada.

Confira aqui o Boletim completo do 4º Levantamento – Safra 2019/20.

Fonte: Conab

Texto originalmente publicado em:
4º Acompanhamento da safra brasileira de grãos
Autor: Conab

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.