A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais altos. O mercado repercutiu os relatórios de estoques trimestrais e de produção dos Estados Unidos, divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), há pouco. Os documentos indicaram oferta abaixo do esperado. A menor oferta na Ucrânia também atuou como fator positivo.

Em setembro, a posição dezembro subiu 6,06%. No terceiro trimestre de 2020, a alta acumulada é de 17,96%. Numa base contínua, os preços chegaram aos maiores níveis desde 27 de março de 2020. Esta foi a maior alta percentual diária desde 19 de março deste ano. Em valores absolutos, foi a maior valorização desde 25 de julho de 2018.

A produção de trigo dos Estados Unidos em 2020 é estimada em 1,83 bilhão de bushels em 2020, queda de 5% na comparação com os 1,93 bilhão de bushels de 2019. O mercado esperava 1,835 bilão de bushels. A área colhida com o grão totaliza 36,7 milhões de acres, queda de 2% ano a ano.

Os estoques norte-americanos de trigo em 1o de junho de 2020 totalizaram 2,16 bilhões de bushels – baixa de 8% em relação ao mesmo período de 2019 –, representando o menor volume em cinco anos para o mês. O mercado esperava o número em 2,163 bilhões de bushels. Os estoques trimestrais de trigo durum totalizaram 70,6 milhões de bushels, baixa de 20% frente ao ano passado.

No fechamento de hoje, os contratos com entrega em dezembro de 2020 eram cotados a US$ 5,78 por bushel, ganho de 28,50 centavos de dólar, ou 5,18%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em março de 2021 eram negociados a US$ 5,83 3/4, alta de 27,25 centavos de dólar, ou 4,89%, em relação ao fechamento anterior.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Gabriel Nascimento - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.