InícioDestaqueMilho-RS: Colheita avançou 4% no Estado, atingindo 92% da área cultivada

Milho-RS: Colheita avançou 4% no Estado, atingindo 92% da área cultivada

A operação de colheita avançou 4% em relação à semana anterior, atingindo 92% da área cultivada. As precipitações e umidades elevadas, em grande parte do Estado, atrasaram a operação nas últimas semanas. Contudo, as lavouras por colher passam a apresentar senescência, fungos – com alto risco de desenvolvimento de micotoxinas – e germinação em espiga, o que gera certa urgência pela retirada da cultura do campo. A área de cultivo está estimada em 812.795 hectares, e a produtividade atual em 6.464 kg/ha, podendo haver redução, conforme resultado dos levantamentos de perdas, que estão em andamento.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Caxias do Sul, ainda restam cerca de 25% na região da Serra, Campos de Cima da Serra e Hortênsias, que não foram colhidos. As perdas tanto em volume de grãos como em qualidade são expressivas nessas áreas. As espigas apresentam grãos germinados, mofados e ardidos, prejudicando seriamente os valores nutricional e energético bem como elevando o risco de desenvolver micotoxinas que são extremamente danosas para pessoas e animais. Muitos produtores têm acionado o Proagro a fim de cobrir os valores do custeio da safra.

Na de Erechim, a colheita da cultura foi concluída, e a produtividade média obtida foi de 7.200 kg/ha. Na de Ijuí, os produtores aguardam por um clima seco para a finalização da colheita de milho, restando pequenas lavouras.

Na de Pelotas, a colheita atinge 40%, e a operação segue sendo realizada, mas é dificultada pela umidade relativa elevada. A qualidade dos grãos maduros ainda em campo foi prejudicada em razão de doenças fúngicas e germinações na espiga.

Na de Santa Maria, a expectativa inicial de produtividade sofreu redução de 25% após as condições climáticas severas na região, ficando em 4.141 kg/ha. As perdas ainda podem aumentar, o que será conferido após o encerramento da colheita e a avaliação final da safra.

Na de Santa Rosa, o período de baixa radiação solar tem condicionado uma menor evolução das lavouras, que apresentam plantas de baixo porte e cloróticas, gerando perspectivas de baixa produtividade do milho safrinha. Há produtores interessados na reserva de sementes de milho pelo Programa Troca-Troca, que estão exigindo a extensão do prazo de inscrições, pois os sistemas de registro dos pedidos estão inacessíveis em decorrência das inundações. Para a próxima safra de milho, os produtores iniciam a implantação de coberturas vegetais, como nabo e ervilhaca, visando à melhoria das condições do solo em áreas maiores.

Na de Soledade, o longo período chuvoso aumenta a perda de milho tardio na fase de enchimento de grãos e principalmente em maturação. As lavouras em final de maturação fisiológica apresentam alto índice de germinação de grãos na espiga. Também se observa a senescência acelerada de folhas em razão das precipitações e da reduzida incidência de radiação solar, resultando em menor produtividade. A colheita atinge 68% da área cultivada.

Comercialização (saca de 60 quilos)

O valor médio, conforme o levantamento semanal de preços da Emater/RS-Ascar no Estado, teve elevação de 2,01%, quando comparado à semana anterior, passando de R$ 56,26 para R$ 57,39.

Confira o Informativo Conjuntural 1816 completo, clicando aqui!

Fonte: Emater/RS



 

FONTE

Autor:Informativo Conjuntural 1816

Site: EMATER/RS

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares