Onde: Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, PR
Autora: Vanessa Francieli Vital Silva
Orientador: Prof. Dr. Rubem Silvério de Oliveira Jr

A seleção de biótipos de plantas daninhas resistentes aos herbicidas inibidores da ALS é um fenômeno que ocorre na maioria das regiões produtoras do Brasil. Nos últimos anos, reclamações relacionadas às falhas de controle de buva após a aplicação de chlorimuron têm sido cada vez mais frequentes em lavouras do Paraná.

À despeito disso, grande parte dos herbicidas que são utilizados como alternativa ou complemento ao chlorimuron também pertencem ao mecanismo dos inibidores da ALS. Até o momento não há informações sobre a ocorrência de resistência cruzada dentro ou entre os grupos químicos dos herbicidas inibidores de ALS e nem com relação ao uso destes herbicidas em pré-emergência. Portanto, o objetivo deste trabalho foi investigar a possível existência de populações de Conyza sumatrensis com resistência cruzada aos inibidores da ALS, bem como avaliar herbicidas alternativos para o controle destas populações. 

Primeiramente, um “screening” com os herbicidas chlorimuron, cloransulam e diclosulam foi realizado em várias populações de buva com a finalidade de procurar resistência cruzada (RC). O segundo passo foi identificar os possíveis padrões de RC por meio de curvas de doseresposta realizadas em pré e pós-emergência. Por fim, foram avaliados diversos herbicidas em pré e pós-emergência para o controle de buva com resistência cruzada aos inibidores da ALS. Os resultados comprovaram que em pelo menos duas populações (62 e 334) de Conyza sumatrensis ocorre resistência cruzada em níveis elevados com relação à aplicação de chlorimuron (sulfoniluréias) e cloransulam (triazolopirimidinas) em pós-emergência.

A população 62, com base nos resultados obtidos em pré-emergência, também apresentou resistência cruzada aos herbicidas chlorimuron e diclosulam. Mediante tais resultados, confirmou-se que a população 62, oriunda de Medianeira (região Oeste do Estado do Paraná) constitui o primeiro relato de buva no Brasil que, além de apresentar resistência cruzada aos inibidores da ALS, também apresenta resistência a estes herbicidas em duas modalidades de aplicação (pré e pós-emergência). Há opções eficientes de controle químico tanto em pré quanto em pós-emergência para o manejo da população 62.

Fonte: Disponível no BOLETIM INFORMATIVO – SBCPD – VOLUME 28, Nº 2, ANO 2019 ISSN 1679-0901

Texto originalmente publicado em:
Disponível no BOLETIM INFORMATIVO -
Autor: Vanessa Francieli Vital Silva sob a orientação do Prof. Dr. Rubem Silvério de Oliveira Jr

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.