Nas localidades em que ocorreram precipitações, a umidade do solo possibilitou a retomada do plantio e do preparo de áreas que haviam sido interrompidos. A semeadura já atinge 68% no Estado.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Bagé e Santa Rosa, o plantio de soja avançou. Na de Bagé, foi bem intenso na Campanha, a partir das chuvas de 17/11. Em áreas recém semeadas é necessário maior volume para evitar emergência desuniforme ou falhas no estande. Nas implantadas, o desenvolvimento vegetativo é satisfatório e os produtores monitoram o surgimento de ervas daninhas, para iniciar as pulverizações de dessecantes em pós-emergência.

Algumas áreas estão prontas para semeadura e aguardam a recomposição de umidade do solo. Em áreas de resteva de trigo destinadas a soja, foi realizado gradeamento, para minimizar infestação futura de buva (Conyza sp). Em Bagé, houve aumento de áreas com plantio convencional devido à falta de dessecantes no mercado. Na Fronteira Oeste, a semeadura foi retomada e está acelerada, chegando em mais de 80% da área prevista. As chuvas de 15 a 17/11, em volumes significativos, contribuem na uniformização do estande das lavouras e permitem condições para finalização dos plantios.

Na de Santa Rosa, as semeaduras chegaram a serem interrompidas em função da baixa umidade do solo. Após a ocorrência da chuva foram retomadas. A movimentação de máquinas foi intensa durante 20 e 21/11, quando as condições do solo eram adequadas e o plantio evoluiu para 62% da intenção de plantio de 732 mil hectares. As implantadas nas primeiras semanas de novembro têm bom estande de plantas e, nos municípios onde ocorreram as chuvas o crescimento é vigoroso. Há áreas que receberam o preparo para o plantio, mediante dessecações e sistematizações.

Nas de Ijuí, Caxias do Sul, Frederico Westphalen, Santa Maria, Pelotas, Passo Fundo, Erechim, Soledade e Porto Alegre, a semeadura foi retomada parcialmente nas localidades onde ocorreram precipitações com volumes acumulados superiores a 20 milímetros. Alguns
produtores semearam com solo seco, seguindo as previsões de chuvas, que não aconteceram.

Em geral, as plantas emergidas têm desenvolvimento lento, número reduzido de folhas, caules estiolados e folhas pequenas. Nas semeadas, a partir da segunda quinzena de novembro, quando o teor de umidade do solo era baixo, há falhas na germinação, e em alguns casos, necessita de replantio. Produtores já se preparam para iniciar o manejo fitossanitário e uma das principais preocupações tem sido a presença de plantas resistentes, como a buva, poaia, leiteiro e corda de viola. A retirada de produto específico para esse controle trouxe dificuldades para realizar o manejo de dessecação em pré-plantio.



Comercialização (saca de 60 quilos)

O levantamento semanal realizado pela Emater/RS-Ascar, o preço médio da soja no Estado apresentou aumento de 2,71%, passando de R$ 154,77 para R$ 158,97/sc. Em Cruz Alta, o produto disponível teve aumento de 3,75%, comercializado a R$ 166,00/sc.

Fonte: Emater-RS

Texto originalmente publicado em:
Informativo Conjuntural n° 1686
Autor: Emater/RS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.