No dia 18.06 foram apresentados todos os cases campeões de produtividade do CESB no Fórum Nacional de Máxima Produtividade. Confira todos os manejos aqui.

A fazenda Cedro possui 441 ha de extensão, destes 285 são destinados à cultura da soja. A propriedade de Matheus Grossi Terceiro, situa-se no município de Patrocínio – MG. Na área total a média de produtividade do produtor foi de 91,0 sc/ha na safra 2018/19.

A área destinada ao concurso de máxima produtividade do CESB foi de 2,69 ha, obtendo uma produtividade 110,45 sc/ha.



O produtor Matheus Grossi Terceiro sempre adotou práticas conservacionistas na lavoura, com rotação de culturas entre café, crotalaria, braquiária, soja e sorgo a mais de 10 anos. A correção do solo foi realizada em 2015 (2t/ha de calcário), 2017 (1,5 t/ha de calcário + 1t/ha de gesso) e em 2018 (3,5t/ha de calcário), sendo que no ano de 2016 iniciou-se o preparo do solo para o plantio de culturas anuais.

Nessa lavoura, a média de produtividade na área total foi de 91 sc/ha e a gleba do desafio chegou aos 110,45 sc/ha.

Em relação ao clima, do estádio R1 ao R5 teve-se um déficit hídrico de 97,9mm, considerando as necessidades da cultura no local, e do estádio R5 ao R6 um déficit de 107,3 mm foram registrados, o que evidencia o bom manejo do solo no local, sem que a cultura sofra com a falta d´água nesse período.


Leia também108,74 sc/ha: conheça o segredo dos campeões de máxima produtividade de soja do CESB


A cultivar utilizada foi 8473 RSF, grupo de maturação 7,4 e hábito de crescimento indeterminado, de ciclo precoce, com 95% de germinação e 84% de vigor, e com peso de mil sementes (PMS) médio de 170g, sendo que na área do desafio o PMS obtido de 202,8 g.

A semeadura ocorreu em 05/11/2018, dentro do período considerado preferencial no zoneamento agrícola local. A população de plantas obtida foi de 366.667 plantas/ha com 18,33 plantas/ metro e espaçamento entrelinhas de 50 cm, semeados a uma velocidade de operação de 4,5km/h.

A média de vagens por planta foi de 51 vagens e 4 vagens por nó, com uma média de 13 nós por planta, onde a inserção da primeira vagem estava aos 13 cm de altura e 46,9% dessas vagens possuíam três grãos, 32,7% dois grãos, 16,3% quatro grãos e 4,1% com somente um grão.

O solo da propriedade é argiloso, com 40 – 60% de argila e a resistência à penetração é considerada ideal até os 30 cm de profundidade, aceitável dos 30 aos 40 cm e ideal dos 50 aos 60 cm, o que permitiu um crescimento radicular sem impedimento físico.

A adubação foi realizada com 108 kg/ha de Cloreto de Potássio em pré-semeadura e MAP no momento da semeadura (18 kg/ha de N e 93,6 kg/ha de P2O5), não sendo utilizada adubação em cobertura.  No tratamento de sementes foram utilizados Azospirillum e Bradyrhizobium, em V4 foram aplicados 9%B + 1%K + 6% COT Kellus, em V8 Kellus Cooper + Tônus e em R1 realizou-se a nutrição com fertilizante Kellus Cooper Profol.


Leia também: 96,86 sc/ha: conheça o segredo dos Campeões de máxima produtividade de soja do CESB


O tratamento fitossanitário da área campeã, foi determinado conforme mostra a Figura 1.

Figura 1 – Tratamento Fitossanitário – Campeão CESB 18/19 – Região Sudeste.

Para os campeões, Matheus Grossi Terceiro e o consultor Pedro Rogério de Araújo Lima, o que fez a diferença na produtividade foi fazer o básico bem feito, além do clima, uso de sementes de qualidade, manutenção da matéria orgânica e o capricho desde o preparo da lavoura.

Figura 2 – Custo de produção e análise econômica – Campeão CESB 18/19 – Região Sudeste.

Acesse o case do campeão completo aqui.

Fonte: Informações retiradas do CASE CAMPEÃO 18/19 – SUDESTE – CAT. SEQUEIRO


 


Elaboração: Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.

*As publicações técnicas do CESB, “cases campeões”, tratam-se apenas de constatações técnicas e não devem ser consideradas, sob qualquer hipótese, como recomendações de manejo.

 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.