InícioDestaqueBuva: momento de controle é definitivo para o sucesso do manejo

Buva: momento de controle é definitivo para o sucesso do manejo

O controle de plantas daninhas é uma prática essencial para evitar perdas de produtividade pela matocompetição, baseando-se muitas vezes no controle químico com o emprego de herbicidas. Dentre as principais espécies que infestam lavouras de soja, podemos destacar as plantas do gênero Conyza, popularmente conhecidas como buva.

As principais espécies infestantes pertencentes ao gênero são a Conyza bonariensis, a Conyza canadensis e a Conyza sumatrensis. Os danos em decorrência a matocompetição podem variar em função do estádio em que a planta daninha infesta a cultura, bem como a densidade populacional de plantas daninhas infestantes.  Conforme pesquisas desenvolvidas, densidades populacionais de 2,7 plantas m-2 de buva podem causar perdas de produtividade de até 50% em soja, ao passo que uma planta por metro quadrado de buva pode reduzir em aproximadamente 14% a produtividade (Albrecht; Albrecht; Silva, 2020).

Além da elevada habilidade competitiva, a maioria das espécies de buva apresentam resistência simples e/ou múltipla a herbicidas, em especial ao glifosato (Heap, 2022). Tendo em vista que o glifosato é o herbicida mais utilizado no controle de plantas daninhas na soja RR (roundup ready), além de estratégias complementares de manejo, deve-se atentar principalmente para o posicionamento de herbicidas, em especial ao momento de aplicação desses defensivos.



Conforme destacado por Albrecht; Albrecht; Silva (2020), o ideal é controlar as plantas de buva com 6 a 8 folhas. A aplicação de herbicidas em plantas mais desenvolvidas pode resultas em um controle ineficiente da buva, sendo necessário realizar aplicações sequenciais para o controle efetivo dessas plantas daninhas.

Na aplicação sequencial, a associação entre herbicidas pode ser uma importante alternativa de manejo, principalmente visando o controle de planta daninhas com resistência ao glifosato. Com o banimento do paraquat, como alternativa de substituição a herbicidas inibidores do fotossistema I, pode-se destacar o herbicida glufosinato de amônio, sobretudo em associação com saflufenacil, que apresenta inclusive efeito sinérgico observado para o controle de outras plantas daninhas (Albrecht; Albrecht; Silva, 2020).


Veja mais: O crescente caso de resistência da Buva


Confira o vídeo abaixo com as dicas do professor e pesquisador Leandro Albrecht.


Inscreva-se agora no canal dos Professores Alfredo & Leandro Albrecht, aqui.


Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube

Referências:

ALBRECHT, L. P.; ALBRECHT, A. J. P.; SILVA, A. F. M. MANEJO DE BUVA (Conyza spp.). HRAC-BR, Comitê de Ação a Resistência aos Herbicidas, 2020. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/152RgIqQ95R-3QweVrh_lJVMjmjIdElxc/view >, acesso em: 30/08/2022.

HEAP, I. THE INTERNATIONAL HERBICIDE-RESISTANT WEED DATABASE, 2022. Disponível em: < https://www.weedscience.org/Pages/Species.aspx >, acesso em: 30/08/2022.

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares