O trigo é um dos destaques na vitrine de tecnologias da Embrapa na Agrobrasília 2022, que acontece de 17 a 21 de maio, no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, na região do PAD-DF, Distrito Federal.

O trigo é uma importante opção de cultivo para o Brasil Central, tanto para a produção de grãos, quanto como no aproveitamento da palha no sistema plantio direto. A cultura também é importante para interromper o ciclo de pragas e doenças no monocultivo de leguminosas, além de preencher o espaço imposto pelo vazio sanitário da soja e do feijão. As condições climáticas do Cerrado, com períodos de chuvas e seca, bem definidos, garantem um trigo de excelente qualidade industrial, com bons rendimentos tanto em cultivo de sequeiro, como em cultivo irrigado.

Cultivar BRS 264 a mostra na vitrine da Embrapa – Foto: Jorge Chagas

A cultivar BRS 264 foi desenvolvida para o cerrado do Brasil Central, com indicação de cultivo para os estados de MG, MT, DF e GO. Com ciclo super precoce, espigamento em 40 dias e maturação em 110 dias, é extremamente produtiva e tem excelente aceitação pela indústria. A BRS 264 apresenta altura média de planta de 80 cm, produtividade média de 6.000 kg/ha e peso de mil sementes de 40g. É moderadamente resistente ao acamamento e resistente à debulha. O período preferencial para semeadura vai de 20/04 a 30/05, sob cultivo irrigado.

Cultivar de trigo BRS 404 – Foto: Jorge Chagas

BRS 404 é alternativa para o cultivo de trigo de sequeiro no Cerrado. Apresenta ciclo precoce, classe comercial pão e estabilidade na produção de farinha. A BRS 404 foi a primeira cultivar a apresentar maior tolerância à brusone. É indicada para cultivo nos estados de DF, GO e MG. A BRS 404 apresenta potencial de rendimento de 40 sc/ha e foi desenvolvida para cultivo em áreas de sequeiro, com altitudes iguais ou superiores a 800 metros.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Trigo, Jorge Chagas, as cultivares desenvolvidas e selecionadas pela Embrapa para essa região do Brasil Central, além de apresentarem bom tipo agronômico e elevado potencial de rendimento de grãos, possuem qualidade tecnológica alinhada com a demanda local, facilitando a comercialização e atendendo às demandas do mercado, beneficiando o produtor, a indústria moageira e, consequentemente, o consumidor.

Sob a coordenação da Embrapa Cerrados, a participação da Embrapa na Agrobrasília conta com tecnologias das unidades Arroz e Feijão, Cerrados, Hortaliças, Trigo e Recursos Genéticos e Biotecnologia. No espaço, o visitante vai conhecer diferentes cultivares e sistemas de produção, além de bovinos de corte e leite.

Trigo no Cerrado 2022

A semeadura do trigo na região inicia em fins de fevereiro e vai até meados de junho. A colheita acontece em agosto/setembro. Na safra 2022, os levantamentos da CONAB apontam para uma área estimada em 267,8 mil hectares, nos estados de MG, GO, DF, MS, SP e BA.

Para saber mais sobre as cultivares de trigo da Embrapa, acesse a publicação Informações fitotécnicas das cultivares de trigo BRS 254, BRS 264 e BRS 394 para o sistema irrigado do Cerrado do Brasil Central.

Fonte: Embrapa Trigo

Foto de capa: Divulgação Embrapa Trigo – Créditos Jorge Chagas 

Texto originalmente publicado em:
Embrapa Trigo
Autor: Joseani Antunes - Embrapa Trigo

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.