Devido a generalização do plantio direto, e o resultante acúmulo de matéria orgânica sobre o solo, há alteração na bióta nesse novo ambiente. Em consequência surgem novas especies de organismos vivos envolvidos com o processo de decomposição da matéria orgânica. Um exemplo é a presença frequente do fungo vulgarmente chamado de ninho-de-pássaro, isso por que os seus corpos frutíferos assemelham-se a pequenos ninhos de pássaro com pequenos ovo sem seu interior. Essas estruturas tem sido onfundidas com os apotécios do fungo que causa o mofo-branco da haste dasoja, Sclerotinia sclerotiorum.

O bjetivo desse texto é contribuir para a identificação desse fungo curioso.

Habitat e ocorrência.

As espécies desta família de fungos são saprófitas, nutrindo-se de matéria orgânica em decomposição, sendo frequentemente observados crescendo em madeira em decomposição e em solos enriquecidos com lascas de madeira ou cascas de árvores. Em face do plantio direto são frequentemente visualizados em lavouras de soja.

Descrição.

Posição sistemática do fungo.

Reino Fungi
Sub-reino Dikarya
Filo Basidiomicetes
Subfilo Agaricomycotina
Classe Agaricomycetes
Ordem Agaricales
Família Nudulareaceae
Gênero Cyathus

Gênero Cyathus.

Os membros desse grupo apresentam corpo de frutificação em forma de taça, ou cone invertido, medindo 4 – 8 mm de diâmetro e 7 – 18 mm de altura. Apresenta cor parda ou pardo-cinzenta, com peridíolos negros em seu interior.

Angiocarpo ou basidioma.

Nos membros da família Nidulariaceae os esporos desenvolvem-se internamente num angiocarpo. Os corpos frutíferos são tipicamente gregários (crescendo em grupos, mas não juntos). Quando imaturos são inicialmente cobertos por uma fina membrana com deiscência irregular ao longo de uma linha circular em redor da circunferência da abertura do cone invertido. Os corpos frutíferos são pequenos, geralmente com dimensões 5–15 mm largura e 4–8 mm altura, em forma de urna ou vaso, e contém de um a vários peridíolos em forma de disco que se assemelham a pequenos ovos de ave.

Estrutura do peridíolo.

Correspondem aos pequenos ovos encontrados no interior dos basidiomas, que são os esporangíolos, na literatura especifica, são encontrados sob a denominação de peridíolos. São lenticulares, circulares ou irregulares, normalmente com um ou dois milímetros de diâmetro (raramente três) de cor negra com basidiósporos em seu interior imersos num meio gelatinoso.

Os peridíolos podem ser facilmente observados na superfície de folhas de soja (Fig. 1).

Figura 1. Peridíolo (ovo) depositado sobre folha da soja, com cordão funicular.

Basidiosporos.

Os basidiosporos são macios, hialinos, com parede fina e têm forma oval ou elíptica medinda de 4 μm (Fig. 2)

Figura 2. Basidiosporos de Cyathus striatus (imagem capturada na internet).

O fungo, provavelmente pertence a espécie Cyathus striatus (Huds.) Willd. (1787)(Fig. 3).

Figura 3. Imagens do ninho-de-pássaro entre os dedos do observador e sobre o solo (imagem capturada na internet).

O detalhe da morfologia do fungo é mostrado na Figura 4.

Figura 4. Morfologia do fungo Cyathus striatus (imagem capturada na internet).

Algumas pessoas confundem o fungo ninho-de-pássaro com apotécios do fungo Sclerotinia sclerotiorum (Fig. 4) encontrados também sobre o solo em lavouras de soja.

Figura 4. Apotécios do fungo ascomiceto Sclerotinia sclerotiorum sobre o solo. (imagem capturada na internet).

Dispersão dos esporos.

As paredes do ninho têm uma forma tal, que quando uma gota de chuva atinge um deles com o ângulo certo, os “ovos” são expelidos a uma distância razoável (até 1,0 m). A força de ejeção rompe os funículos, liberando o cordão funicular. O hapteron ligado a parte final do funículo é aderente, e quando em contato com a haste de uma planta próxima, a ela se fixa podendo a corda funicular se enrolar na haste (Fig. 5). Os peridíolos se degradam com o tempo e liberam os basidiosporos presentes em seu interior, ou podem ser ingeridos por animais herbívoros e liberados após passarem pelo seu trato digestivo. Com a germinação dos esporos reinicia-se o ciclo de vida.

Figura 5. Mecanismo de ejeção dos peridíolos e fixação em plantas. Esfera azul, gota da chuva (imagem capturada na internet).

Autores: Erlei Melo Reis, Mateus Zanatta, Andrea Camargo Reis – Agroservice/Agroresearch, Passo Fundo, RS

Referência

Alexopoulos, C.J.; Mims, C.W.; Blackwell, M. Introductory Mycology (4th ed.). New York, New York: Wiley. ISBN 0-471-52229-5.1996.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.