FECHAMENTOS DO DIA 04/06

A cotação de julho24, referência para a nossa safra de verão, fechou em baixa de -0,23 % ou $ -1,00 cents/bushel a $ 443,50. A cotação para setembro24, fechou em baixa de -1,22 % ou $ -1,00 cents/bushel a $ 448,25.

ANÁLISE DA BAIXA

O milho negociado em Chicago fechou de forma mista nesta terça-feira. O milho foi a commodity que menos teve seus preços afetados pelas boas condições de plantio nos EUA nesta terça. A sessão volátil fechou com pequenas perdas para as cotações mais curtas e pequenos ganhos para as mais longas.

O USDA informou nesta segunda, depois do fechamento da sessão, as primeiras classificações para as lavouras de milho. A atual safra está com 75% dos campos com boas e excelentes condições, valor maior que os 64% do ano anterior e de supersafra. O mercado esperava algo em torno de 70%. As chuvas das últimas semanas recuperaram a tempo áreas com déficit hídrico, beneficiando o milho recém plantado.

“Junho costuma ser um bom mês para os preços de milho, com a adição de prêmio de risco climático no mercado, mas, no momento, não há indicações nos gráficos de que tenhamos atingido um piso”, disse Doug Bergman, da RCM Alternatives.

B3-MERCADO FUTURO DE MILHO NO BRASIL
B3: Melhores condições nas lavouras americanas e safrinha pressionam cotações, que caem nesta terça

Os principais vencimentos de milho fecharam o dia em variações negativas nesta terça-feira (04). A pressão internacional foi especialmente exercida pela melhora das condições do milho nos Estados Unidos, onde no final do dia de ontem, o USDA divulgou que 75% das lavouras encontram-se em condições boas ou excelentes, surpreendendo o mercado, já que em levantamentos de estimativa média apontava-se para 70%.

Nem mesmo valorização do dólar foi suficiente para barrar as quedas – hoje a moeda norte-americana fechou no maior nível do ano até então, a R$ 5,285 na venda, em uma alta de +0,98% na variação diária.

OS FECHAMENTOS DO DIA 04/06

Diante deste quadro, as cotações futuras fecharam em variações negativas: o vencimento de julho/24 foi de R$ 57,07 apresentando baixa de R$ 0,31 no dia, baixa de R$ 1,92 na semana; setembro/24 fechou a R$ 60,29, baixa de R$ 0,20 no dia, baixa de R$ 1,93 na semana; o vencimento novembro/24 fechou a R$ 64,21, baixa de R$ 0,22 no dia e baixa de R$ 1,52 na semana.

NOTÍCIAS IMPORTANTES
BRASIL-RITMO DE VENDAS DE MILHO PARA EXPORTAÇÃO ESTÁ LENTO, EXCETO DOIS PORTOS DO ARCO NORTE

Os agricultores brasileiros estão preferindo vender soja para exportação ao invés de milho, exceto nas regiões abastecedoras dos portos de Santarém e Itacoatiara, onde a exportação é a opção mais viável. Há, também, problemas de navegação no Rio Tapajós, acesso para o porto de Barcarena, pelo baixo volume do rio e a falta de chuvas. O nível das águas, que costuma estar em 19,2m, está atualmente em apenas 7 metros.

EMATER/RS LANÇA ESTIMATIVA DE PERDAS NO ESTADO

Quanto ao milho, o Sistema de Levantamento de Perdas da Emater/RS-Ascar (Sisperdas) indica que a área afetada pelas chuvas e enchentes foi de 113.700 hectares, resultando em perdas de produção de 354.189 toneladas. A estimativa de produção no Estado caiu de 5,2 milhões para 4,85 milhões de toneladas, e a produtividade passou de 6.401 para 5.966 quilos por hectare.

PARAGUAI-PRODUÇÃO DA SAFRINHA MUITO AFETADA PELAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

Cada região produtiva supera diferentes condições climáticas, pragas e doenças que geram resultados desiguais e abaixo do esperado para a colheita de soja e milho. As primeiras parcelas foram as mais atingidas pela escassez de água e pelas ondas de calor, enquanto as culturas de ciclo médio e final receberam mais chuva, mas o excesso de umidade estimula a propagação de pragas e doenças.

Embora a colheita da soja esteja em andamento, muitas são prejudicadas pela chuva e pelos campos lamacentos. Quanto ao milho, corre mais risco em caso de geadas, mas espera-se que as condições climáticas melhorem e acompanhem as últimas parcelas para obter melhores rendimentos e contribuam para a semeadura de trigo e canola.

Principalmente no sul da Região Leste são relatados chuviscos frequentes e céu nublado, com alguns casos de geadas que afetam as condições do solo. Os produtores estão adaptando suas práticas para tentar mitigar os danos. Em outros casos mais graves, deixaram de usar a colheitadeira e começaram a plantar culturas de inverno por cima.

Nesse cenário, o replantio, as aplicações extras de agrotóxicos e as perdas de colheitas geraram estouros de custos e prejuízos que preocupam os produtores, que apenas igualam ou nem sequer cobrem suas despesas de produção. Perspectivas climáticas. Segundo estimativas do Instituto de Biotecnologia Agrícola, manter-se-á um ambiente frio a fresco nos próximos dias, com temperaturas mínimas que oscilariam entre 4 e 5°C em algumas zonas do país. Fonte:Valor Agrícola

EUA-DIMINUI USO DE MILHO PARA PRODUÇÃO DE ETANOL

O relatório mensal de esmagamento de grãos da tarde de segunda-feira mostrou 416,92 mbu (10,59 mt) de milho usados para produção de etanol durante abril. Foi uma queda de 11,7% no mês, mas ainda um aumento de 0,69% em relação ao mesmo mês de 2023.

Fonte: T&F Agroeconômica



Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.