No ano de 2019 a cultura do milho em Mato Grosso apresentou números recordes para a safra 18/19, que, apesar do maior custo produtivo, teve uma semeadura adiantada e um regime de chuvas ideal para a safra, o que possibilitou uma produção +2,36% maior ante o total observado no ano passado.

Mesmo com o acréscimo na oferta, a demanda pelo cereal no estado se manteve firme e as cotações do milho no mercado interno dispararam. Esse movimento é reflexo da entrada de novas usinas de etanol à base de milho e da ampliação na capacidade das plantas que já estavam em funcionamento.

Outro fator altista para o ano: o dólar alcançou patamares recordes e contribuiu na formação dos preços – ainda que as oscilações em Chicago não tenham se alterado muito em 2019, o valor pago pela saca de milho em Mato Grosso continuou em alta, mesmo em períodos de maior de disponibilidade do cereal.

Como consequência de preços mais atrativos, a comercialização se encontra adiantada 7,03 p.p., alcançando já 98,75% da safra negociada. Nesse sentido, com os mercados interno e externo aquecidos para o cereal e as vendas antecipadas, o cenário para o ano que vem tende a ser com preços firmes e uma menor disponibilidade de milho no estado.

Confira os principais destaques do boletim:

• Com uma grande produção do cereal no estado e uma demanda que vem alcançando a oferta neste ano, o preço do milho disponível em MT encerrou 2019 com valorização de 16,96% e ficou com cotação média de R$ 23,76/sc.

• Devido aos problemas climáticos e as incertezas quanto à safra norte-americana, as cotações na CME apresentaram um fechamento anual de +3,89% e +2,83% para o contrato físico e futuro (jul), respectivamente.



• Puxada pela alta no dólar e nas cotações da CME-Group, a paridade de exportação para o contrato de julho em Mato Grosso fechou o ano com um aumento de 3,60% e média de R$ 21,46/sc.

• Impactado pelas relações comerciais entre a China e os Estados Unidos, além das mudanças no governo brasileiro, o dólar exibiu um incremento de 7,79% e preço médio de R$ 3,94/US$.

Perspectivas 2020:

As perspectivas para o próximo ano quanto à safra 2019/20 de milho em MT trouxeram uma estimativa de área de 4,97 milhões de hectares, o que evidencia um incremento de 2,36% no comparativo com a safra anterior. Tal previsão foi favorecida em virtude do crescimento na demanda pelo cereal, sobretudo, pela instalação de novas usinas de etanol à base de milho e a alta demanda externa.

Aliado a isso, as cotações na bolsa de Chicago e a valorização do dólar no último ano favoreceram o adiantamento dos negócios para a safra futura, que se encontra com 51,62% da produção total já vendida.

Dessa forma, mesmo com a metade da safra já comercializada e quase 90,00% dos insumos adquiridos, é importante que o produtor continue atentos aos seus custos, visto que o preço ponderado para a safra ficou a uma média de R$ 21,86/sc e 9,59% superior em relação ao atual ponto de equilíbrio do milho de alta tecnologia.

Embora o cenário esteja otimista, com o produtor realizando os negócios do cereal a preços acima do esperado, é interessante destacar que os formadores de preço, o dólar e as cotações na bolsa de Chicago, podem se alterar e tais mudanças serão fundamentais na definição da rentabilidade no próximo ano.

Ademais, o fator climático será um ponto determinante para a próxima safra, visto que, não há relatos de ocorrência dos fenômenos El Niño e La niña para o primeiro semestre de 2020.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.